Tradutor/ Translate

Cinco tenistas brasileiros estão classificados para as Paralimpíadas de Tóquio

Foto: CBT

O Brasil terá a presença de cinco tenistas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Nesta terça-feira, a Federação Internacional de Tênis (ITF) confirmou a classificação dos atletas brasileiros de acordo com o ranking das diferentes categorias de 7 de junho de 2021. O evento será realizado entre 27 de agosto e 5 de setembro na capital japonesa.

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

Na categoria Open Masculino, eram 56 vagas em disputa. O Brasil será representado pelos mineiros Daniel Rodrigues (11º), Gustavo Carneiro (41º) e Rafael Medeiros (46º). Na categoria Open Feminino, são 32 atletas. A mineira Meirycoll Duval, 28ª do ranking, também carimbou o passaporte. Na quad, o catarinense Ymanitu Silva, 10º do mundo, será um dos 16 atletas a buscar a medalha de ouro na categoria.

Todos os tenistas brasileiros classificados já tomaram a primeira dose da vacina para Covid-19 e irão receber a segunda dose antes da viagem para a Ásia, que está marcada para 8 de agosto. No Japão, a primeira parada será em Hamamatsu, onde a delegação fará a aclimatação antes de competir em Tóquio.

“Alcançar essa classificação para os Jogos Paralímpicos é fruto do trabalho e dedicação de atletas e treinadores. Ficamos muito felizes também pelo reconhecimento do trabalho da CBT, que atua incansavelmente para que os atletas possam participar do máximo de eventos e treinamentos para que tenham não só a chance de se classificar para as Paralimpíadas, mas também de subir ao pódio e tentar essa medalha inédita para o Brasil. É um trabalho de longo prazo, que cada vez vem dando mais resultados”, afirma Jesus Tajra, vice-presidente da CBT.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

Confira o depoimento dos atletas

“Estar na lista oficial é muito satisfatório para um atleta. Desde o momento que abriu a classificação, eu me empenhei muito para conseguir isso. Estou muito feliz por representar o Brasil nos Jogos Paralímpicos”, destaca Daniel Rodrigues.

“Há três anos e sete meses, quando soube que precisaria amputar minha perna, eu decidi que faria tudo para estar nos próximos jogos Paralímpicos de Tóquio e felizmente eu consegui”, comemora Gustavo Carneiro.

“Chorei muito quando soube. Esse é um sonho que sempre tive desde 2011, quando mal sabia pegar na raquete. Tive a felicidade de jogar o Parapan de Lima, mas o meu maior sonho era ir para uma Paralimpíada. Receber a classificação dizendo que estou indo por mérito, por dedicação a todo trabalho que foi feito, faz com que eu tenha mais motivação ainda para chegar lá e dar o meu melhor”, vibra Meirycoll Duval.

“É uma sensação incrível, que sinto pela terceira vez. Mas agora é ainda mais especial, devido ao ano atípico que tivemos. Todo esforço valeu à pena para chegar a este momento. Só tenho a agradecer a todo o esforço da CBT, por ter investido para que eu conseguisse me classificar, e agora é treinar mais ainda para chegar em Tóquio”, celebra Rafael Medeiros.

“Sou mais um classificado entre tantos outros atletas brasileiros a representar nosso país nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Viver essa experiência de uma paralimpíada novamente me mostra que estou no caminho certo. Foram cinco anos de preparação e investimentos, tanto no meu físico quanto em equipamentos como cadeira e raquetes, os profissionais que me cercam para esse treinamento me dão doses diárias de força e otimismo. E o que eu mais quero levar comigo é o carinho e a torcida de todos que vibram por mim. Até aqui, agradeço a todos que seguraram firme a minha mão”, agradece Ymanitu Silva.

Fonte: CBT (cbt-tenis.com.br)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.