Lives

Campeã mundial de judô, Alana descreve a alegria de ser atleta do Palmeiras

591.V

Alexandre Schneider/EXEMPLUS/CPB
Alana Maldonado é atleta do Palmeiras desde 2018, ano que conquistou o título de campeã mundial do judô paralímpico na categoria até 70kg.

Alana Maldonado é atleta do Palmeiras desde 2018, ano que conquistou o título de campeã mundial do judô paralímpico na categoria até 70kg.

A judoca Alana Maldonado foi a convidada da Live Paralímpica desta terça-feira, 12, no perfil oficial do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) no Instagram, @ocpboficial. A atleta do Palmeiras contou como é a sua relação com a torcida alviverde.

A transmissão faz parte do conjunto de ações feitas pelo CPB para todos os seguidores do esporte paralímpico durante o período de quarentena devido à pandemia do Covid-19.

Aos 24 anos, Alana é atleta do Palmeiras desde 2018 e conta que é reconhecida por alguns torcedores quando vai a eventos ou outras academias de judô.

“Fui muito bem acolhida. Quando chego em alguns lugares as pessoas falam que sou atleta do Palmeiras. Muitos torcedores começaram a me acompanhar devido ao clube, mesmo que de início não soubessem meu nome ou modalidade. É muito legal porque eles acolhem os atletas muito bem. Tenho muito carinho por todos!”, comentou a judoca.

Alana está em Tupã – a 522km da capital paulista, sua cidade natal, e desde o início da quarentena tem adaptado seus treinos de tatame para fazer em casa. “É uma grande adaptação porque não tem o companheiro, a pegada no quimono, a movimentação é diferente. Mas consigo fazer o meu treino técnico com elásticos, que é muito importante para não perder tanto. Aqui em Tupã eu consigo correr, exercício que nunca gostei muito de fazer. Senti a necessidade de uma atividade de cardio, para suar mesmo, e começar a correr foi algo que a quarentena me trouxe. Pretendo trazer esse exercício para minha rotina, intercalar com os treinos, aos fins de semana”, relatou a atleta.

Em 2019, Alana conquistou a prata nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019 e foi eleita “Atleta da Galera” – categoria por voto popular - no Prêmio Paralímpicos. Em 2018, ela foi campeã mundial na categoria até 70kg. O currículo da paulista também conta com a prata nos Jogos Rio 2016.

Aos 14 anos, Alana descobriu a doença de Stargardt, que leva à perda da visão progressiva e em 2014 começou a praticar o judô paralímpico. No bate-papo desta terça, ela relembrou como foi este período de descoberta da doença e início no judô paralímpico.

“Depois que descobri a doença pensei em focar nos bastidores do judô, em dar aula. Não sabia que existia judô para deficientes visuais. Só em 2014 eu descobri a modalidade. Fui para a minha primeira competição sem saber as regras, perguntei para algumas pessoas na arena o que era diferente e lutei”, relembrou a judoca.

A Live Paralímpica acontece às terças, às 16h, no perfil oficial do CPB no Instagram (@ocpboficial). Confira abaixo a programação deste mês de maio:

Terça-feira (19/05): Evani Calado (bocha)
Terça-feira (26/05): Vitor Tavares (parabadminton)

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

www.cpb.org.br
Comitê Paralímpico Brasileiro

Mais...

Buscas

Todas as notícias