Missão Europa

Ana Marcela Cunha e Allan do Carmo se despedem da Missão Europa e partem rumo à travessia de 36km na Itália

234.V

Rio Maior Sports Centre/Divulgação

Sem competir desde fevereiro, os maratonistas aquáticos Allan do Carmo e Ana Marcela Cunha já têm um desafio pela frente. E não será uma competição qualquer. Depois de três semanas intensas de treinamento em Portugal pela Missão Europa, os baianos seguiram para Capri, na Itália, onde disputam uma prova de 36km - e cerca de seis horas de duração - neste domingo, dia 6. Além de possibilitar aos atletas a retomada de seus treinamentos de alto nível, outro objetivo do Comitê Olímpico do Brasil (COB) com a Missão Europa é facilitar a volta às competições no continente.

Ana Marcela Cunha, que já vinha treinando por duas semanas no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro, acredita que o período em Rio Maior foi fundamental para chegar bem para a disputa da desgastante prova no fim de semana. “Saímos de Rio Maior depois de três semanas intensas de treinamento e vamos com tudo para as próximas competições até o fim do ano. Conseguimos nadar 275km, que é uma média alta, para nos prepararmos para a prova em Capri. Foi um período importante não só para rodar, mas também para o descanso e a alimentação, que foram bem feitos”, afirmou Ana Marcela.

A alta quilometragem nos treinos tem uma explicação. Serão mais de seis horas dentro da água. Nada que assuste a seis vezes campeã mundial e única brasileira com vaga garantida para os Jogos Olímpicos na modalidade. “Já competi essa prova em 2014 e bati o recorde dessa prova, em 6h24min. Eu gosto bastante de nadar longas distâncias e essa prova vem num momento importante para a gente. Não é só a retomada das competições, mas para reforçar o lado mental. Então, para mim, essa prova é mais uma curtição, de viver o momento, aproveitar para sair mentalmente mais forte”, destacou a nadadora de 28 anos.

Para Allan do Carmo, a prova em Capri marcará o reinicio da caminhada em busca da sua terceira participação olímpica. Durante a Missão Europa, o atleta esteve ao lado de seis dos seus principais adversários que disputarão a única vaga masculina disponível para o Brasil em Tóquio 2021.

“Voltamos aos treinamentos há algumas semanas e vamos reiniciar agora as competições. Chega a dar um friozinho na barriga e agora volta o sonho olímpico. Estivemos aqui em Rio Maior com amigos e adversários que teremos nas competições. Isso já traz um clima de competitividade sadia e dá a expectativa de planejar o resto de 2020 e o início de 2021, onde começaremos a focar diretamente na seletiva olímpica. Penso, sonho e confio que posso estar nos Jogos Olímpicos no ano que vem. Espero fazer tudo certo nos treinos e competições para que eu possa representar o Brasil mais uma vez”, comentou Allan, que também saiu satisfeito de Rio Maior.

“A Missão Europa foi uma oportunidade de sairmos do Brasil para treinar com regularidade e todas as facilidades, refeições prontas e sem se preocupar com atividades paralelas. Só focar nos treinos, na recuperação, no alto rendimento, ajuda bastante e alavancou o nosso gás depois de passarmos por esse período de quarenta no Brasil. Agora a gente só vai olhar para frente para buscar o objetivo da classificação olímpica para o Brasil”, projetou.

Veja o calendário de competições da dupla em setembro:

6/9 - Travessia Capri-Napoli (Itália) - 36km
12/9 - Ilha da Madeira (Portugal) - 10km
26 e 27/9 - Campeonato Francês em Jablines (França) - 5km e 10km

www.cob.org.br
Comitê Olímpico do Brasil

Mais...

Buscas

Todas as notícias