Tradutor/ Translate

Luis Mendoza será o primeiro arbitro brasileiro em jogos olímpicos

Foto: CB Taekwondo

Os Jogos Olímpicos de Tóquio já entrou para a história do Taekwondo brasileiro, antes mesmo dos combates iniciarem. Isto porque, o coordenador de arbitragem da CBTKD Luis Mendoza foi convocado para atuar na edição japonesa, tornando-se o primeiro arbitro do Brasil a fazer parte do quadro de juízes dos Jogos Olímpicos de Verão. Em 2018, o brasileiro Marcelo Rezende atuou como árbitro nos Jogos Olímpicos da Juventude, de maneira também pioneira.

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

Luis Drosghic Mendoza é arbitro nacional há 21 anos e internacional desde 2012 anos e atuou em competições importantes e expressivas no cenário mundial como sete campeonatos mundiais, Jogos Pan-Americanos, Campeonato Pan-Americanos e etapas de Grand Prixs, além de etapas do processo seletivo Olímpico.

“É uma felicidade enorme ter um brasileiro arbitrando nos Jogos Olímpicos. Espero poder ajudar a formar e inspirar outros árbitros a seguir este caminho para o Brasil sempre ter um representante Olímpico. O processo está sendo complicado e temos que nos manter estudando e praticando atividades físicas. Desde a minha seleção já tivemos dois treinamentos, para revisão do regulamento e procedimentos, mas agora e me preparar e aguardar o momento da viagem. Meu desejo é que façamos um trabalho brilhante e que realmente vençam os atletas que se destacarem na disputa.”

Praticante de taekwondo desde 1980, iniciando sua carreira em Mato Grosso, Mendoza sempre reforça sua paixão pela modalidade e diz que escolheu a arbitragem para poder continuar atuando com a modalidade. Mendoza, como é chamado, comentou sobre o processo e caminhada até sua escolha pela Federação Internacional.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

“Esse é meu segundo processo Olímpico. Para os Jogos de 2016 tivemos um período curto de adaptações das atualizações e não fui selecionado para atuar como arbitro no Jogos do Rio, mas pude participar como voluntário. Passado o ciclo, não desanimei e continuei com os treinamentos e competições internacionais. Este processo foi mais exigente, nessa Olimpíada os árbitros podem cumprir qualquer uma das funções designadas, desde lateral, central, operador e vídeo replay, então temos que saber fazer de tudo. Teríamos que participar dos eventos qualificatórios e eu fui para o GP da Bulgária e no GP final, em Moscou, junto comigo esteve o Mestre Marcelo (Rezende), e eu participei do qualificatório (Olímpico) africano e logo depois veio a pandemia e o Mestre Marcelo participou do asiático. Nós não éramos adversário e o que queríamos é ter um brasileiro nesta missão” – completou Mendoza.

Fonte: CB Taekwondo (cbtkd.com.br)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.