Tradutor/ Translate

Judocas Olímpicos e Paralímpicos são promovidos a Kodansha

Judocas olímpicos e paralímpicos são promovidos a Kodansha em homenagem da Confederação Brasileira de Judô

Sete heróis olímpicos do judô brasileiro foram promovidos pela Confederação Brasileira de Judô ao 6º Dan. Nessa terça-feira, 29, Carlos Pacheco “Fuscão”, Antonio Tenório, Walter Carmona, Monica Angelucci, Vânia Ishii e Edinanci Silva receberam o certificado de Kôdansha e a faixa coral das mãos do presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges, e dos gestores Ney Wilson Pereira (Alto Rendimento) e Marcelo Theotônio (Base) em cerimônia realizada durante o treinamento de campo das equipes de base em Pindamonhangaba.

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

+ Parabéns Kodanshas!!! CBJ confirma promoção de graus de 11 kodanshas do Time Judô Rio em 2021

João Derly integra a turma dos homenageados deste ano e recebeu seu 6º Dan em Porto Alegre, na quarta-feira, 30, em cerimônia realizada pela Federação Gaúcha de Judô e pela Sogipa.

+ Lúcia Araújo é ouro na Inglaterra e esta pronta para Tóquio

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

Além deles, a técnica da seleção brasileira sub-21 feminina e atleta olímpica em Barcelona 1992 e Atlanta 1996, Andrea Berti, recebeu a promoção referente aos dois ciclos olímpicos e o diploma de 5º Dan na cerimônia em Pindamonhangaba. Assim como ela, outros atletas que preenchem o mesmo requisito terão suas promoções divulgadas em breve, conforme antecipou o presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges.

+ Brasileiros buscam na Inglaterra últimas vagas do judô para os Jogos de Tóquio

“Essa é uma proposta da CBJ de valorização, de reconhecimento daqueles que foram nossos heróis lá no passado. Foram extremamente importante e construíram o caminho que hoje é trilhado por muitos judocas. Essa ação contemplará mais de 60 atletas, entre olímpicos e paralímpicos neste ano de Jogos Olímpicos. Temos também uma cláusula no novo Regulamento Nacional de Graus que já valoriza a graduação do atleta assim que ele retornar da Olimpíada, coisa que nunca existiu no Brasil. É uma grande Horna podermos homenagear esses ícones do judô nacional”, afirmou Silvio Acácio.

+ Definida a delegação brasileira de judô para a Olimpíada de Tóquio

Em dezembro de 2020, a CBJ já havia promovido os medalhistas olímpicos Sarah Menezes, Tiago Camilo, Leandro Guilheiro, Carlos Honorato e Flavio Canto.

+ Equipe Olímpica do Judô será anunciada nesta quarta-feira, 16, ao vivo no Canal Brasil Judô

A ação de valorização e reconhecimento de toda a contribuição dos atletas olímpicos ao judô brasileiro é uma iniciativa da atual gestão da CBJ, que estabeleceu um regime especial de promoção de graduação para judocas olímpicos e medalhistas olímpicos por meio da Portaria Nº 1, de 04 de novembro de 2020, conforme os critérios abaixo:

Art. 3, em seu § 7o, para ATLETAS OLÍMPICOS e para os MEDALHISTAS OLÍMPICOS (campeões, vice- campeões e terceiros lugares), em deferência à sua enorme dedicação e por elevar o nome do judô nacional, será concedido um regime especial de promoção, cujas outorgas serão concedidas conforme a seguir.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

  • 01 (um) DAN para cada ciclo olímpico completado como ATLETA OLÍMPICO;
  • Será outorgada automaticamente a graduação de 5º DAN (GO DAN) para o ATLETA OLÍMPICO que possuir ao menos 02 (dois) ciclos olímpicos, quando da sua decisão de deixar definitivamente de participar da seleção nacional (aposentadoria como atleta);
  • Será outorgada automaticamente a graduação de 5º DAN (GO DAN) para o MEDALHISTA OLÍMPICO, quando da sua decisão de deixar definitivamente de fazer parte da seleção nacional (aposentadoria como atleta);
  • Será outorgada automaticamente a graduação de 6º DAN (ROKU DAN), para o MEDALHISTA OLÍMPICO, que tenha participado de ao menos 02 (dois) ciclos olímpicos, quando da sua decisão de deixar definitivamente de fazer parte da seleção nacional (aposentadoria como atleta);
  • As outorgas previstas neste parágrafo serão retroativas e contemplarão todos os ATLETAS e MEDALHISTAS OLÍMPICOS que se enquadrem nas condições listadas acima.

Confira os depoimentos dos novos Kodanshas:

Fuscão – Atleta Olímpico em Montreal 1976: “Eu nunca imaginei que fosse receber essa homenagem depois de tampo tempo. Eu participei dos Jogos Olímpicos de Montreal, em 1976. Eu sou de uma geração de atletas que foi a primeira a fazer estágios no exterior e a gente ser lembrado, ser chamado, esse convite que o Silvio me fez encheu meu coração de alegria. Dizem que o Brasil não tem memória. Tem, sim. Através desse trabalho bacana que a Confederação está fazendo, estar relembrando os atletas que foram do passado, mostrando que o judô foi construindo por várias gerações de judocas.”

Walter Carmona – Atleta Olímpico em Moscou 1980, Los Angeles 1984 e Seul 1988: “Primeiro lugar, gratidão pelo carinho, pela atenção, pela consideração. Embora eu não milite mais no judô, essa é uma premiação, uma graduação importante para a minha vida, para minha família e estou bastante honrado com isso. “

Antônio Tenório – Atleta Paralímpico em Atlanta 1996, Sydney 2000, Atenas 2004, Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016: “Primeiramente, muito obrigado à Confederação Brasileira de Judô. Esse é um momento ímpar para o judô paralímpico tendo o primeiro atleta promovido ao 6º grau. Não só para, mas como para meu professor é um momento muito importante. E, lógico, ano olímpico, já classificado para 2021, a gente vai estar fazendo o possível para representar os 220 milhões de brasileiros em cima do pódio e trazer uma medalha a mais para o Brasil”

João Derly – Atleta Olímpico em Pequim 2008: “Sou um ex-atleta, mas sempre judoca. É um momento muito especial receber esta honraria. Confesso que faltam palavras para descrever tudo isso, mas existe uma que não pode faltar: obrigado. Obrigado a todos que são parte da minha trajetória e da minha vida. Obrigado meu Deus”

Monica Angelucci – Atleta Olímpica em Seul 1988 e Barcelona 1992: “São, praticamente, 42 anos dedicados à prática do judô. Eu era faixa preta desde 2001 e hoje estou recebendo minha faixa Kodansha, que chegou num momento muito importante por ser um ano olímpico e foi uma gratificação muito grande da CBJ. Eu acho que esse momento que a gente está passando hoje é o que representa para todo mundo essa graduação é o judô feminino crescendo degrau por degrau nesses anos e eu tenho todas as esperanças de que a CBJ vai trazer para a gente um quadro de medalhas muito maior do que o que a gente traz dentro de Olimpíadas”

Vânia Ishi -Atleta Olímpica em Sydney 2000 e Atenas 2004: “É um momento muito especial, me sinto muito honrada. Foi uma surpresa agradabilíssima. Quando recebi essa grande notícia me veio na cabeça todos os momentos bons, sacrifícios, tudo o que a gente faz para poder ser o melhor, estar em cima do tatame dando o melhor. É uma premiação, né? E para mim, realmente, é um momento muito especial”.

Edinanci Silva – Atleta Olímpica em Atlanta 1996, Sydney 2000, Atenas 2004, Pequim 2008 : “Para mim é uma felicidade enorme receber essa homenagem, esse reconhecimento. Antes da graduação, eu acho que só o fato de ter essa lembrança na memória de instituição que durante tanto tempo eu representei já é de grande valia. É um sonho para lá de realizado. Eu saí do nordeste faixa verde, consegui a faixa preta. Não tinha nem ideia se um dia eu poderia conseguir ser Kodansha e estamos aqui hoje realizando mais um sonho. Estou muito feliz”

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

PORTARIA Nº1 – 04 DE NOVEMBRO DE 2020 – GRADUAÇÃO

Fonte: CBJ (cbj.com.br)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.