Tradutor/ Translate

Brasileirão feminino terá 16 equipes com começo previsto para setembro

Imagem: CBB

O Brasileirão feminino 2021 terá 16 equipes, com começo previsto para o mês de setembro. A competição é uma parceria da Confederação Brasileira de Basketball com o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) e contará com a participação de times de oito estados e uma importante descentralização, com equipes da região Centro-Oeste e Nordeste também. Todo o torneio será jogado em sistema de sedes, espécies de bolhas, levando em conta a pandemia da Covid-19.

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

Confirmaram presença: Instituto Vitaliza (PE), Sport Club do Recife (PE), Aeroclube (RN), Clube Campestre (PB), ADC Bradesco (SP), Sociedade Thalia (PR), SGJ Joinville (SC), AGEFB/Basket São José/ELASE (SC), Cerrado Basquete (DF), Maracaju Basquete Clube (MS), ADRM Maringá (PR), ABASFI Foz do Iguaçu (PR), São José dos Pinhais/Guaxo (PR), Sociedade Recreativa Mampituba (SC), Basket Pinda – Pindamonhangaba (SP) e APAGEBASK Guarulhos(SP).

Assim como no Brasileirão masculino, as equipes serão divididas em conferências. Os times de cada uma, assim como as homenageadas, serão divulgadas em breve pela CBB, assim como a fórmula de disputa até o Final Four, marcado para novembro de 2021.

“É uma felicidade e uma surpresa. Desde a minha chegada na CBB, essa foi a meta traçada por mim e pelo presidente Guy Peixoto, de valorizar e fortalecer o basquete feminino. De tentarmos recuperar o feminino. E a ideia de fazer esse Brasileirão com atletas sub-23 é pensar no futuro, uma competição que dê oportunidade para meninas mais novas, visando detectar talentos” – cita a vice-presidente da CBB e diretoria do feminino, Magic Paula.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

O torneio respeitará todos os protocolos de saúde contra a COVID-19, com testes RT-PCR antes do começo dos jogos de cada sede, além de cuidados de higiene e distanciamento social. No Brasileirão masculino, o protocolo da CBB foi sucesso e nenhuma equipe teve jogadores em ação com atletas infectados pelo vírus. A arbitragem também não teve casos do novo coronavírus.

O Brasileirão feminino terá transmissão ao vivo pela CBB TV/TV NSports, e o calendário e quantidade de jogos disponibilizados de forma gratuita terá sua grade definida e divulgada nas próximas semanas.

Confira as equipes

Instituto Vitaliza (PE)
Sport Club do Recife (PE)
Aeroclube (RN)
Clube Campestre (PB)
ADC Bradesco (SP)
Sociedade Thalia (PR)
SGJ Joinville (SC)
AGEFB/Basket São José/ELASE (SC)
Cerrado Basquete (DF)
Maracaju Basquete Clube (MS)
ADRM Maringá (PR)
ABASFI Foz do Iguaçu (PR)
São José dos Pinhais/Guaxo (PR)
Sociedade Recreativa Mampituba (SC)
BAsket Pinda – Pindamonhangaba (SP)
APAGEBASK Guarulhos(SP)

Fonte: CBB (cbb.com.br)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.