Badminton

Competição internacional de badminton confere clima olímpico ao Rio

39.V

Divulgação
Yonex Grand Prix Brasil terá 107 atletas de 20 países e será realizado entre os dias 5 e 10 de agosto

Yonex Grand Prix Brasil terá 107 atletas de 20 países e será realizado entre os dias 5 e 10 de agosto

Ainda pouco difundido no Brasil, o badminton será uma das primeiras modalidades a abrir as portas para o clima olímpico no Rio de Janeiro. Enquanto a vela disputa o seu evento-teste entre os dias 2 e 9 de agosto, na Baía de Guanabara, o badminton realiza, entre os dias 5 e 10, o Yonex Grand Prix Brasil de Badminton. A competição é uma etapa do circuito mundial e a primeira a ser realizada no país em toda a história.

“O Grand Prix do Rio de Janeiro faz parte da nossa estratégia para desenvolver o badminton, para gerar mais interesse na modalidade no Brasil, em particular, no Rio de Janeiro, que sediará os Jogos Olímpicos de 2016. O badminton já é um esporte em crescimento no Brasil e gostaríamos muito de torná-lo ainda mais popular, antes mesmo dos Jogos Olímpicos”, afirmou Thomas Lund, secretário geral da BWF (Badminton World Federation).

Além de ótima oportunidade para os brasileiros conhecerem mais um pouco sobre o segundo esporte mais popular do mundo, será uma chance incrível dos atletas do Brasil disputarem uma grande competição em casa.

"Pela primeira vez a América do Sul está realizando uma etapa do Grand Prix, evento da BWF. Ter uma competição como essa no Rio de Janeiro, com tamanha importância, é fundamental para a preparação dos atletas e para o treinamento dos profissionais envolvidos nos Jogos Olímpicos de 2016. É um momento especial que o nosso esporte está vivendo antes do início das Olimpíadas", disse Francisco Ferraz, presidente da Confederação Brasileira de Badminton (CBBd).

Ao todo, 107 atletas (64 homens e 43 mulheres) de 20 países competirão no ginásio da comissão de desportos da Aeronáutica, no Campo dos Afonsos, Zona Oeste do Rio de Janeiro, em cinco modalidades: simples masculino, simples feminino, dupla masculino, dupla feminino e dupla mista. O Brasil será o país com mais representantes (33) e já figura como uma das maiores apostas da BWF. Além da etapa do Grand Prix, o país receberá um programa de desenvolvimento da modalidade.

"Estamos trabalhando bastante, junto com a CBBd, para desenvolver a modalidade em todos os níveis. Além do Grand Prix, estamos implementando programas de desenvolvimento como o Shuttle Time, que tem como base a prática do esporte nas escolas, e formando treinadores. Por meio desses programas, esperamos aumentar o número de praticantes de badminton e, com isso, garantir uma continuidade para a modalidade após os Jogos Olímpicos. Já vemos atletas brasileiros conquistando bons resultados, principalmente nos torneios realizados nas Américas, mas gostaríamos de ver mais. Com tudo o que está sendo feito, apostamos que o Brasil possa surgir como um dos grandes celeiros de jogadores de badminton do mundo”, encerrou Thomas Lund, secretário geral da BWF.

www.brasil2016.gov.br
CBBd

Mais...

Buscas

Todas as notícias