Tradutor/ Translate

Daniel Cargnin é bronze e garante primeiro pódio ao judô brasileiro nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Daniel Cargnin é bronze e garante primeiro pódio ao judô brasileiro nos Jogos Olímpicos de Tóquio
Cargnin é bronze.
Foto: Gaspar Nóbrega/COB

Brasileiro brilhou nas preliminares e só caiu na semifinal para o campeão olímpico Abe Hifume, do Japão. Na luta pela medalha, superou Barush Shmailov, de Israel

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

O judô brasileiro mantém sua tradição de subir ao pódio em todas as Olimpíadas desde Los Angeles 1984. Neste domingo, a Nippon Budokan foi o palco de uma exibição impecável do meio-leve brasileiro Daniel Cargnin que, em sua primeira participação olímpica, conquistou a medalha de bronze em Tóquio 2020. Ele venceu todas as três lutas das premliminares e só parou na semifinal diante do japonês Abe Hifume, que se tornaria campeão olímpico ao final do dia. Na luta pelo bronze, Cargnin projetou Baruch Shmailov, de Israel, e segurou o waza-ari por dois minutos para faturar a medalha.

+ Kelvin Hoefler ganha prata no skate street e faz história nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Essa foi a 23ª medalha do judô em Jogos Olímpicos. É o esporte olímpico em que o Brasil tem mais medalhas. A de Daniel, logo no segundo de competição, representa ainda o sucesso no trabalho da CBJ nas categorias de base e no alto rendimento, integrado com os clubes e Federações, resultando num pódio olímpico de um judoca que, no Rio 2016, foi apoio do titular olímpico e que, neste ciclo, foi trabalhado para chegar com chances reais de pódio nos Jogos. Com a medalha de bronze no berço do judô, Daniel Cargnin firma-se, hoje, como uma das grandes revelações do judô brasileiro para 2020.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

Ana Patrícia e Rebecca enfrentam dupla do Quênia na estreia dos Jogos Olímpicos de Tóquio

GALERIA DE IMAGENS

O caminho até o pódio

Estreante em Jogos Olímpicos, Cargnin pisou no tatame histórico da Nippon Budokan com bastante confiança e foi para cima de seus adversários. Na primeira luta, venceu o egípcio Mohamed Abdelmawgoud, número 14 do ranking, com um ipponzaço no Golden score.

Evandro e Bruno vencem a primeira nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Nas oitavas, encarou um adversário mais duro, o medalhista em mundial, Denis Vieru, da Moldávia. Atento nos movimentos de defesa e agressivo, Daniel encaixou a técnica de projeção e marcou o waza-ari vencedor no tempo extra da luta.

Primeiro dia da Ginástica dos Jogos Olímpicos o Brasil alcança quatro finais

Nas quartas-de-final, o brasileiro encontrou um de seus maiores rivais, o italiano Manuel Lombardo, velho conhecido dos tempos de seleção júnior. Lombardo foi vice-campeão mundial um mês atrás, em Budapeste, e chegou aos Jogos como número um do mundo. O retrospecto dos dois, porém, era favorável a Daniel que tinha uma vitória em uma luta com o italiano na final do Grand Slam de Brasília, em 2019.

Felipe Lima garante vaga na semifinal dos 100 metros peito nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Em Tóquio, novamente, Cargnin levou a melhor. Não deu espaço para Lombardo lutar, impondo um ritmo acelerado na luta e projetou o adversário a 10 segundos do fim do combate para garantir-se na semifinal em sua primeira participação olímpica.

Em jogo de seis gols, Brasil e Holanda empatam em jogo com seis gols

Para chegar à decisão, Daniel precisará passaria pelo bicampeão mundial Abe Hifume, do Japão. O brasileiro até começou bem o combate mas, em um descuido, deu espaço para o golpe perfeito que colocou Abe na grande final e jogou Cargnin para a disputa pelo bronze.

Laura Pigossi e Luisa Stefani vencem na estreia dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Em sua última luta, o brasileiro encarou Baruch Shmailov, de Israel, e se motivou pelo retrospecto positivo contra ele para sair vitorioso mais uma vez. Daniel marcou um waza-ari no segundo minuto de luta e administrou bem a vantagem até o fim do combate para comemorar sua primeira medalha olímpica. O outro bronze do 66kg ficou com An Baul, da Coreia do Sul, que derrotou Lombardo. A prata ficou com Vazha Margvelashvili, da Geórgia, e o ouro foi para o anfitrião Abe Hifume.

Brasil vence a Argentina na estreia do vôlei de praia nos Jogos Olímpicos de Tòquio

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

Sua irmã, Abe Uta, completou a dobradinha japonesa com um ouro no meio-leve feminino (52kg) ao imobilizar Amandine Buchard, da França, na final. Odette Giuffrida, da Itália, e Chelsie Giles, da Grã-Bretanha completaram o pódio.

Brasileiros são superados no primeiro dia do Judô nos Jogos Olímpicos

Nessa categoria, o Brasil foi representado por Larissa Pimenta, outra novata em Jogos Olímpicos e revelação das equipes de base do judô brasileiro. Na estreia, Larissa superou Agata Perenc, com um waza-ari no golden score, mas parou nas oitavas diante da campeã olímpica, Abe Uta.

Brasil estreia com vitória sobre a Tunísia nos Jogos Olímpicos

O judô continua nesta segunda, em Tóquio, com Eduardo Katsuhiro Barbosa representando o Brasil no peso Leve (73kg). Preliminares a partir das 23h e finais às 5h, no horário de Brasília.

Fonte: CBJ (cbj.com.br)

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.