Natação

Medalha de prata não satisfaz Matheus Santana, que vai com tudo para o

25.V

Wander Roberto/Inovafoto/COB
Brasileiro é o dono do recorde mundial júnior na prova, com a marca de 48s35

Brasileiro é o dono do recorde mundial júnior na prova, com a marca de 48s35

Medalha de prata não satisfaz Matheus Santana, que vai com tudo para os 100m

Matheus Santana chegou aos Jogos Olímpico da Juventude, em Nanquim, na China, disposto a quebrar marcas e conquistar o máximo de medalhas possíveis. Nesta quarta-feira, alcançou seu segundo pódio na competição. E novamente o que veio foi uma prata, desta vez nos 50m livre. A primeira havia sido no revezamento 4x100m misto. Mas, o carioca de 18 anos não está satisfeito e quer mais, muito mais. A tão sonhada medalha de ouro pode vir no sábado, nos 100m livre, prova em que o brasileiro é o detentor do recorde mundial Júnior (48s35).

Na decisão dos 50m, Matheus foi surpreendido pelo nadador chinês Hexin Yu, até então desconhecido do brasileiro, que cravou 22s, no recorde mundial da categoria na prova. Matheus terminou a prova em 22s43 e, apesar de orgulhoso com a prata olímpica no peito, reconheceu que almejava o alto do pódio. O bronze foi para o nadador de Trinidad Tobago, Dylan Carter, com 22s53.

É muito boa a sensação de ganhar uma medalha. Fiquei feliz com essa conquista, mas não era esse o meu objetivo. Eu vim aqui com metas muito claras e não foi para esse tempo que eu treinei. A medalha tem um gosto legal, por ser olímpica, mas poderia ter ido melhor. Fica um gostinho de quero mais, admitiu Matheus, que passa a se concentrar agora na sua prova mais forte, os 100m livre, onde tem o sétimo melhor tempo do mundo.

Matheus tem atitude de vencedor, uma característica importante para qualquer atleta. Em provas de velocidade, esta característica pode fazer a diferença.

Entro com mais fome nos 100m livre. Com sangue nos olhos. Meu objetivo é essa medalha de ouro. Vou corrigir os erros e vir com tudo. Chego com mais vontade, com certeza. Treinei por um ano para essa competição e quero muito o ouro. Tenho objetivos claros e treinei para nadar abaixo dos 48s. Quero nadar na casa dos 47s e bater meu próprio recorde. Essa é a minha meta e tomara que consiga, afirmou.

Os Jogos Olímpicos da Juventude têm grande importância na carreira de Matheus. Uma das estrelas da nova geração da natação brasileira, o carioca abriu mão de participar do Pan-Pacífico em busca do ouro olímpico da juventude para encerrar da melhor forma um vitorioso ciclo na categoria juvenil. O reconhecimento do talento de Matheus é tanto que após a prova desta quarta, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, e o campeão olímpico e dos Jogos da Juventude, o sul-africano Chad Le Clos, pediram para encontrá-lo.

timebrasil.cob.org.br
COB

Mais...

Buscas

Todas as notícias