Judô

Rafaela Silva é quinta colocada no Mundial Chelyabinsk 2014

99.V

Brasileira de 22 anos chega à quarta disputa por medalhas em Mundiais mas perde a luta pelo bronze para Automne Pavia no golden score por uma punição.

Brasileira de 22 anos chega à quarta disputa por medalhas em Mundiais mas perde a luta pelo bronze para Automne Pavia no golden score por uma punição.

Rafaela Silva não conseguiu o bicampeonato mundial mas provou, mais uma vez, estar entre as melhores judocas da atualidade. Aos 22 anos, chegou à sua quarta disputa por medalhas. Depois do ouro em 2013, a prata em 2011 e o quinto lugar em 2009, a brasileira enfrentou a francesa Automne Pavia, a quem tinha vencido na semifinal no Mundial do Rio no ano passado, na disputa pelo bronze. Numa luta muito equilibrada que só foi definida no golden score, Rafaela acabou derrotada ao receber uma punição por falta de combatividade. O ouro foi para Nae Udaka(JPN), a prata para Telma Monteiro (POR) e o outro bronze para Sanne Verhagen (NED).

“O Mundial estava com um nível muito alto. Várias atletas fortes, medalhistas olímpicas e em mundiais ficaram fora do pódio. Eu sabia que muito mais difícil que chegar no topo, era se manter. Então, agora é voltar, treinar forte para voltar ao topo do pódio. Quero continuar crescendo como atleta e buscar o ouro na Olimpíada”, disse Rafaela. Das medalhistas do Mundial Rio 2013 e nos Jogos de Londres 2012 – além de Rafaela, Marti Malloy (EUA), Myriam Roper(GER), Vlora Bedeti (SLO), Kaori Matsumoto (JPN) e Corina Caprioriu (ROU) e Automne Pavia-, apenas a francesa esteve no pódio em Chelyabinsk.

Em sua primeira luta no Mundial, Rafaela Silva não tomou conhecimento de Vlora Bedeti (SLO), medalhista de bronze no Rio. Conseguiu um yuko no começo da luta mas acabou vencendo porque a adversária foi desclassificada depois de receber quatro punições. Na segunda rodada, mais uma vez jogou a adversária, desta vez a austríaca Tina Zeltner, por yuko e venceu com autoridade. Nas quartas-de-final, mais uma adversária dura, a mongol Sumiya Dorjsuren. Rafaela começou perdendo por um wazari, a segunda maior pontuação possível, correu atrás e empatou faltando um minuto para o fim. Mas Dorjsuren, que tinha uma punição a menos que Rafaela, conseguiu controlar a luta e venceu.

“Era uma adversária forte e eu já tinha sido derrotada por ela. Sair perdendo é complicado mas consegui buscar a pontuação a tempo. Só que ela ficou se jogando na minha frente, não me deixou encaixar a pegada e não consegui entrar o golpe que me daria a vitória”, comentou.

Na repescagem, Rafaela teve que enfrentar uma surpresa, a austríaca Fabienne Kocher, de 21 anos. A brasileira saiu na frente de Kocher com um wazari logo no primeiro minuto de luta dominou a luta até o fim. A adversária pelo lugar no pódio foi Automne Pavia, medalhista de bronze em Londres e atual quarta colocada no ranking mundial. E, como não poderia deixar de ser, a luta entre as duas atletas tops foi bem equilibrada. Rafaela saiu na frente com um wazari após contra-golpear a francesa. Pouco tempo depois foi punida. Faltando um minuto e meio para o fim do combate, Pavia conseguiu um wazari e passou à frente. Mas quase no fim, Rafaela forçou uma punição para a francesa ao fazê-la pisar fora da área de combate. No golden score, a francesa foi mais agressiva, rapidamente aplicou duas entradas. Rafaela se defendeu bem e tentou um golpe. Mas quando se levantou para dar continuidade à luta, foi punida por falta de combatividade e acabou fora do pódio.

“Essa disputa do bronze poderia ter sido a final porque são duas atletas fortes . Infelizmente, foi na disputa do bronze e eu fiquei fora do pódio. Mas tem que ficar com a cabeça erguida. É descansar para voltar para a disputa por equipes no domingo. Tenho que dar o meu melhor porque tem outras atletas que dependem de mim. Já que não veio a medalha no individual, vamos buscar o pódio por equipes”, disse Rafaela.

O estreante em Mundiais Alex Pombo fez sua estreia contra o experiente Dirk Van Tichelt e parece que isso pesou a favor do belga. Pombo começou muito bem na luta, impondo seu ritmo e quase conseguiu um estrangulamento com menos de um minuto. Quando parecia questão de tempo para que o brasileiro encaixasse um bom golpe, o belga aproveitou um descuido e imobilizou o brasileiro por 20 segundos até o ippon. O ouro ficou com Riki Nakaya (JPN), a prata com Kuk Hyon Hong (PRK) e os bronzes para Victor Scvortov (UAE) e Musa Mogushkov (RUS).

A medalhista de bronze em Pequim 2008, Ketleyn Quadros, também teve uma adversária dura em sua estreia. A atleta do Taipei, Chen-Ling Lien, é uma das favoritas a conquistar o Campeonato Asiático em outubro. O combate foi muito equilibrado e Ketleyn acabou sendo punida uma vez durante o confronto por fazendo a pegada com uma mão apenas – o que, de acordo com as regras, é sinal de que está só se defendendo - e, como não houve pontuação de nenhum dos lados, acabou sendo derrotada.

Nesta quinta-feira, dia 28, é a vez da categoria meio médio e o Brasil será representando por Mariana Silva (63kg) e Victor Penalber (81kg). Mariana estreia contra Laura Salles Lopez, de Andorra, e Penalber faz sua primeira luta contra Rafael Davtyan, da Armênia.

“Ter disputado o Mundial ano passado me deu mais experiência, mais maturidade e tranquilidade para pôr em prática o que treinei durante o ano. Acredito que estou mais preparado para buscar um pódio”, disse Victor.

As eliminatórias começam às duas da manhã e as finais às oito horas, no horário de Brasília. O SporTV, parceiro do judô brasileiro, transmite.

Confira abaixo, com detalhes, como foi a participação dos brasileiros:

Um embate entre duas grandes atletas. Assim pode ser definida a disputa do bronze entre Rafaela Silva e Automne Pavia. Com muita disputa pela melhor pegada e o melhor posicionamento, Rafaela saiu na frente com um wazari após contra-golpear a francesa. Pouco tempo depois foi punida. Faltando um minuto e meio para o fim do combate, Pavia conseguiu um wazari e passou à frente. Mas quase no fim, Rafaela forçou uma punição para a francesa ao fazê-la pisar fora da área de combate. No golden score, a francesa foi mais agressiva, rapidamente aplicou duas entradas. Rafaela se defendeu bem e tentou um golpe. Mas quando se levantou para dar continuidade à luta, foi punida por falta de combatividade e perdeu o combate. Essa foi a quarta disputa de medalha em Mundiais da brasileira de apenas 22 anos. Ela foi ouro no Mundial Rio 2013, prata em Paris 2011 e 5º esse ano e em Roterdã 2009.

===

Foi mais tranquilo do que se imaginava. Rafaela Silva lutou bem contra a austríaca Fabienne Kocher, de 21 anos, e se classificou para a disputa do bronze contra a francesa Automne Pavia, que perdeu a semifinal contra a japonesa Nae Udaka. De acordo com o portal de estatísticas do esporte Judoinside.com, Rafaela já enfrentou a francesa três vezes e venceu duas, a última delas na semifinal do Mundial do ano passado. Na repescagem, Rafaela saiu na frente de Kocher com um wazari logo no primeiro minuto de luta. Depois controlou as ações e chegou a ser punida por falta de combatividade. Mas ficou nisso e a brasileira vai em busca de um lugar no pódio.

===

Numa disputa muito dura e por apenas uma punição, Rafaela Silva foi derrotada por Sumiya Dorjsuren, da Mongólia. A luta começou com uma punição para cada lado. Mas pouco tempo depois, Rafaela foi novamente penalizada. Em desvantagem, a brasileira foi para cima e acabou abrindo espaço para que Dorjsuren a projetasse por wazari. Como costuma acontece, Rafaela cresceu no momento difícil e conseguiu uma projeção que, na interpretação da arbitragem, valeu um wazari quando faltava um minuto para o fim. Mas, infelizmente, a mongol forçou duas entradas e não houve tempo para mais nada. Rafaela vai para a repescagem e precisa vencer a luta contra a jovem promessa do judô suíço Fabienne Kocher, de apenas 21 anos, para chegar à disputa do bronze. Vai ser a primeira luta entre elas na história. Vale toda a sua torcida a partir das oito horas da manhã, horário de Brasília!

===

Rafaela Silva passou com tranquilidade por Tina Zeltner (AUT). Depois de fazer dois ataques em que conseguiu projetar a adversária mas que não valeram pontuação, a austríaca foi punida por falta de combatividade. A partir daí, a campeã mundial controlou a luta até que no último segundo ainda conseguiu um yuko para encerrar a luta e selar a classificação para as quartas-de-final contra a mongol Sumiya Dorjsuren. Elas já se enfrentaram uma vez, no Grand Slam de Tyumen, ano passado e a mongol levou a melhor.

===
Ketleyn Quadros teve uma adversária dura em sua estreia. A atleta do Taipei, Chen-Ling Lien, é uma das favoritas a conquistar o Campeonato Asiático que, diferentemente dos demais continentais, todos disputados em abril, será realizado apenas em outubro. O combate foi muito equilibrado, digno de duas atletas top do mundo. Ketleyn acabou sendo uma punida uma vez durante o confronto por estar pegando com uma mão apenas - isso dá a entender que ela está só se defendendo - e, como não houve pontuação de nenhum dos lados, acabou sendo derrotada.

===

Em sua primeira luta no Mundial, Rafaela Silva não tomou conhecimento da adversária Vlora Bedeti (SLO). No começo da luta, ambas se estudaram e, sem movimentação, foram punidas duas vezes. Rafaela, então, conseguiu em um contra-golpe, jogar a adversária por yuko. A eslovena tentou ir para cima mas acabou punida outras duas vezes – uma por enroscar a perna de Rafaela e outra por pisar fora da área de combate - e foi eliminada. Na próxima fase, Rafaela enfrenta a austríaca Tina Zeltner. As duas nunca se enfrentaram. Agora só falta Ketleyn Quadros estrear. Na primeira luta, ela enfrenta Chen-Ling Lien, do Taipei.

===

O estreante em Mundiais Alex Pombo fez sua estreia contra o experiente Dirk Van Tichelt e parece que isso pesou a favor do belga. Pombo começou muito bem na luta, impondo seu ritmo e quase conseguiu um estrangulamento com menos de um minuto. Pouco tempo depois conseguiu projetar Van Tichelt que, como um gato, se virou no ar e caiu de frente, o que não vale pontuação. Quando parecia questão de tempo o brasileiro encaixar um bom golpe, o belga aproveitou um descuido e imobilizou o brasileiro. Ainda tem Rafaela Silva e Ketleyn Quadros em ação hoje!

===

O Brasil vai em busca de sua segunda medalha no Mundial Chelyabinsk 2014 depois que Érika Miranda ficou com o bronze na categoria meio leve nesta terça. O país será representado pela campeã mundial Rafaela Silva que tentará igualar o feito de João Derly, o único bicampeão mundial do judô brasileiro; Ketleyn Quadros, sexta colocada no ranking mundial, e Alex Pombo, atual campeão pan-americano e quarto colocado no ranking mundial.

Rafaela Silva começa sua caminhada contra quem vencer o confronto entre Vlora Bedeti, da Eslovênia, e Stefanie Tremblay, do Canadá. Já a medalhista de bronze em Pequim 2008, Ketleyn Quadros, espera o vencedor de Carina Caprioru, da Romênia, e Chen-Ling Lien, do Taipei. No masculino, Alex Pombo, cabeça de chave número quatro, também sai de bye. Ele enfrenta o ganhador de Dirk Van Tichelt, da Bélgica, e Martin Ivanov, da Bulgária.

Você acompanha os resultados em tempo real pelo nosso twitter, o @noticiascbj e vê as principais imagens do dia em nossa fanpage no facebook – www.facebook.com/Brasil Judo. O SporTV transmite a competição ao vivo a partir das duas da manhã!

www.cbj.com.br
Assessoria de Imprensa/CBJ

Mais...

Buscas

Todas as notícias