Basquete

Armadora Adrianinha anuncia sua aposentadoria da seleção brasileira fe

1177.V

Divulgação/FIBA
Atleta marcou 1.113 pontos nos 127 jogos que disputou com a equipe

Atleta marcou 1.113 pontos nos 127 jogos que disputou com a equipe

Armadora Adrianinha anuncia sua aposentadoria da seleção brasileira feminina de basquete

Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos Sydney 2000, a armadora Adrianinha Moisés, de 35 anos, anunciou sua aposentadoria da seleção brasileira feminina de basquete após a eliminação no Campeonato Mundial da Turquia. Foram 20 anos defendendo o Brasil nas principais competições internacionais.

"Dessa vez o anúncio é para valer. Em 2012, após os Jogos Olímpicos de Londres, havia anunciado que era hora de parar. Mas o técnico Luiz Augusto Zanon me chamou para participar do projeto de renovação e voltei. Estou com 35 anos, tenho uma filha de oito anos e quero ter mais um filho. O que eu podia fazer para contribuir eu fiz, agora é a vez dessa meninada que está vindo aí. Elas demonstraram dedicação e que podem crescer e evoluir muito. Para mim foi uma honra ter participado nesses dois anos do começo do processo de renovação", disse a armadora.

Adrianinha marcou 1.113 pontos nos 127 jogos que disputou com a seleção brasileira.

"Nesses anos dedicados à seleção levo só coisas boas. Foi com a seleção que conheci minha melhor amiga, a Alessandra [Oliveira, ex-jogadora], e onde tive muitas experiências gratificantes. Conheci o mundo viajando com o basquete e tive a honra de disputar quatro Olimpíadas e quatro Mundiais. Foi por causa da seleção que realizei o sonho de jogar na WNBA. Só tenho a agradecer tudo que a seleção me deu. Nunca teria sonhado em ter todas essas oportunidades sem o basquete e a seleção brasileira".

Mesmo fora das quadras, Adrianinha tem como objetivo seguir ajudando o basquete feminino.

"Também quero me dedicar aos projetos no Brasil. Quero aprender a ser técnica e ensinar basquete. Já fiz dois Cursos da Escola de Treinadores da CBB e estou fazendo um curso no COB sobre os Fundamentos da Administração Esportiva. Vou me preparar para todas as oportunidades que aparecerem, seja de técnica ou trabalhando na Confederação ou no COB. O basquete feminino precisa de mais gente lutando pelas atletas. E é para isso que vou me dedicar agora", finalizou a atleta.

www.timebrasil.cob.org.br
COB

Mais...

Buscas

Todas as notícias

Publicidade
  • Cefec - Centro de Formação Educacional de Campos
  • Judocam 300x250 - Pai, invista...
  • Aulas
  • PARA ABENÇOAR

Outras notícias...