Tradutor/ Translate

Federação Internacional de Judô promovem Márcio Gomes e Luiz Emílio Villanueva à FIJ A

Brasil tem mais dois árbitros promovidos à FIJ A pela Federação Internacional de Judô

Márcio Gomes e Luiz Emílio Villanueva são promovidos à FIJ A
Foto: CBJ/Divulgação

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

Márcio Gomes, de Rondônia, e Luiz Emílio Villanueva, do Mato Grosso do Sul, são os primeiros FIJ A de seus estados após serem aprovados no exame realizado em Lima, Peru, durante o Campeonato Pan-Americano Sênior 2022

Judô Tênis

O judô brasileiro teve ótimos resultados no Pan de Lima e não foram apenas as 16 medalhas conquistadas pela seleção que tiveram destaque. O país teve dois novos árbitros promovidos à categoria FIJ A, a mais alta dentro da arbitragem internacional. Márcio Gomes, de Rondônia, e Luiz Emílio Villanueva, do Mato Grosso do Sul, participaram do exame realizado pela Federação Internacional de Judô durante o Campeonato Pan-Americano Sênior 2022 e foram aprovados à FIJ A após o rígido processo seletivo.

+ Brasil tem três árbitras e um árbitro promovidos à classe Continental

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

Luana Carvalho conquista prata e Rafaela Silva, bronze no Pan-Americano/Oceania 2022

Professor Lucas Maia visita o Centro de Treinamento da UENF

“Esse momento é a consagração de uma vida trabalhando pela arbitragem. É a oportunidade que eu tenho de incentivar, promover os árbitros, e eu sendo o primeiro FIJ A do meu estado acredito que isso vai fomentar mais a arbitragem, eles vão enxergar o caminho e que dá para chegar lá”, disse Villanueva. “Aproveito para agradecer a todos que me ajudaram nessa caminhada, meu primeiro Sensei, Reinaldo, que me ensinou o caminho da arbitragem, Sensei João Rocha, o presidente da FJMS, Sensei Ovídio, que me ajudou muito, além da minha família e, claro, do presidente da CBJ, Sensei Silvio Acácio, por confiar em mim.”

Os candidatos foram testados atuando em todas as áreas da arbitragem durante o Campeonato, seja no shiai-jo como árbitro central da luta, seja como árbitro de vídeo, e também passaram por provas teóricas e práticas. Todos foram avaliados pela direção de arbitragem da FIJ representada por Florin Daniel Lascau, e pela coordenação de arbitragem da Confederação Pan-Americana de Judô, representada pelo brasileiro Edison Minakawa, que também é coordenador de arbitragem da CBJ.

Nove judocas do Time Judô Rio irão participar dos Campeonatos Pan-americanos Sub 18 e Sub 21

Rio de Janeiro leva a melhor no quadro geral de medalhas do Campeonato Brasileiro de Judô Região III

Com Recorde de Medalhas, Time Judô Rio é Campeão do Brasileiro Regional 2022

“Foi uma experiência ímpar. Sou o primeiro FIJ A de Rondônia. Como coordenador do estado é muito importante. Agradeço à CBJ pela confiança e apoio, ao presidente Silvio por acreditar, e à coordenação nacional de arbitragem pela indicação. Não foi fácil, as exigências da FIJ são muitas para que se tenha excelência na qualidade e capacidade. Três candidatos não conseguiram, por exemplo. Eu fico muito feliz pela conquista e agora é começar um novo caminho”, resumiu Márcio Gomes.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

Além deles, durante o Pan Sub-18 e Sub-21, o Brasil teve outros quatro árbitros que foram promovidos à categoria Continental (FIJ B). Leia aqui.

Fonte: CBJ (cbj.com.br)

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.