Tradutor/ Translate

Rosicleide  Andrade buscará seu terceiro pódio em 2022, no Grand Prix de Judô

Balé e caratê moldaram Rosicleide rumo ao topo do judô paralímpico mundial

Rosicleide, que tem o cabelo loiro e usa quimono branco, derruba adversária durante o Grand Prix do Cazaquistão
Foto: IBSA

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

Atleta potiguar é uma das destaques da Seleção Brasileira no ano e buscará seu terceiro pódio em 2022, no Grand Prix de São Paulo

Judô Tênis

Quem vê Rosicleide Andrade derrubar suas adversárias com força no tatame não imagina ter sido a leveza dos movimentos do balé e do caratê que moldaram a judoca rumo ao topo do ranking mundial entre as atletas até 48 kg (J1, para cegos totais). Uma das destaques da Seleção Brasileira na temporada, ela buscará seu terceiro pódio em 2022 neste sábado (2), quando terá início o IBSA Grand Prix de São Paulo, evento que reunirá competidores de 21 países no Centro de Treinamento Paralímpico (Rodovia dos Imigrantes, km 11,5), localizado na capital paulista. A competição é aberta e gratuita ao público e terá transmissão ao vivo tanto no YouTube da CBDV (link AQUI) quanto no da IBSA (link AQUI). 


Depois de conquistar o ouro nas duas etapas anteriores do Grand Prix, na Turquia e no Cazaquistão, a potiguar de 24 anos espera repetir a dose dentro de casa. “Minhas expectativas são as melhores possíveis. Quero me manter no topo do pódio. Estou trabalhando e correndo muito e corrigindo o que é preciso para melhorar a cada dia”, explica Rosicleide, cuja deficiência visual é a retinopatia da prematuridade – nasceu com seis meses pesando 900 gramas.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

+ Lúcia Araújo busca medalha e retorno à liderança do ranking no IBSA Grand Prix de Judô

Campeonato Brasileiro Sub-18 esquentou a briga por vaga no Mundial da Bósnia


Após praticar balé dos sete aos 16 anos de idade, ela passou pelo goalball e pelo caratê, onde o gosto pelas artes marciais foi aguçado, mas limitado pelo fato de ela não conseguir participar de lutas. Como deficiente visual, a atleta executava apenas o “kata” – sequência de movimentos com técnicas de ataque e defesa cujo objetivo é colocar em prática os exercícios praticados em treino. Faltava a adrenalina do corpo a corpo, que ela foi encontrar no judô a partir de 2014.

Foto mostra a jovem Rosicleide em exercícios de caratê ao lado de um professor. Ao redor do tatame,
alguns alunos estão sentados

Foto: Arquivo pessoal.

Rosicleide chegou a integrar a Seleção de base, pela qual foi prata no Parapan de Jovens de 2017, disputado no mesmo palco do Grand Prix deste fim de semana, mas passou a ser convocada para a equipe adulta apenas neste ano, depois das mudanças nas regras da modalidade. Os excelentes resultados até aqui a levaram à primeira colocação do último ranking divulgado pela IBSA (sigla em inglês para Federação Internacional de Esportes para Cegos). Ela vai lutar no sábado, a partir das 10h (preliminares).

Centro de Treinamento Paralímpico sedia Grand Prix de judô

CIAGA recebe treinamento da Marinha do Brasil em parceria com a FJERJ


A outra representante do Brasil no peso até 48 kg é a paulista Giulia Pereira, de 22 anos, que é da categoria J2 (baixa visão). A judoca não foi à Turquia e faturou o bronze no Cazaquistão. Está em quarto lugar no ranking. “Competir em casa é sempre uma alegria e uma honra. Lutar com amigos e familiares torcendo será uma felicidade imensa. Nas edições anteriores, fomos muito bem e tenho certeza de que sairemos com muitas medalhas”, diz a atleta.

Rosicleide  Andrade buscará seu terceiro pódio em 2022, no Grand Prix de Judô
Giulia derruba a argentina Rocio Ledesma no Parapan de Lima, em 2019, quando foi medalha de ouro
Foto:
CPB/ Divulgação

Sobre o Grand Prix


A terceira etapa do circuito da IBSA reunirá nove dos 16 atuais líderes do ranking mundial do judô paralímpico, sendo seis brasileiros: Arthur Silva (J1 até 90 kg), Wilians Araújo (J1 acima de 90 kg), Thiego Marques (J2 até 60 kg), Rosicleide Andrade (J1 até 48 kg), Brenda Freitas (J1 até 70 kg) e Rebeca Silva (J2 acima de 70 kg). A paulista Alana Maldonado, que lidera o ranking até 70 kg J2, não poderá participar. O Brasil foi campeão no geral das duas etapas anteriores, na Turquia e no Cazaquistão. 

Com mais uma prata, Brasileiras fazem bonito no Grand Slam de Judô na Geórgia

Rafaela Batista é ouro na Copa Europeia Júnior de Graz


Confira a programação do evento (horários sujeitos a alterações):


Dia 1/7 (sexta-feira)

19:30 – sorteio do chaveamento

Dia 2/7 (sábado)

09:30 – Cerimônia de Abertura
10:00 às 12:00 – preliminares (48 kg, 57 kg, 60 kg e 73 kg)
15:00 às 17:00 – finais (48 kg, 57 kg, 60 kg e 73 kg)
17:30 – Cerimônia de Premiações

Dia 3/7 (domingo)

10:00 às 12:00 – preliminares (-70 kg, +70 kg, -90 kg, +90 kg)
15:00 às 17:00 – finais (-70 kg, +70 kg, -90 kg, +90 kg)
17:30 – Cerimônia de Premiações

Patrocínio

A Loterias Caixa é a patrocinadora oficial do judô paralímpico brasileiro.

Apoio

A CBJ (Confederação Brasileira de Judô) e a FP Judô (Federação Paulista de Judô) são parceiras da CBDV na organização do evento.

Fonte: CBDV

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.