Judô

Brasil fatura dois bronzes no Judô nos Jogos Mundiais da IBSA 2015, em Seul

4145.V

Divulgação CBDV
Lucia Teixeira e Alana Maldonado juntas mostrando a medalha da competição

Lucia Teixeira e Alana Maldonado juntas mostrando a medalha da competição

Seul/Coreia do Sul – O Brasil conquistou duas medalhas de bronze no primeiro dia de disputas do Judô Paralímpico nos Jogos Mundiais da IBSA 2015. Lúcia Araújo e Alana Maldonado conseguiram boa recuperação após revezes na semifinal e quartas de final, respectivamente, e conseguiram chegar ao pódio, na madrugada desta quarta-feira (13), em Seul, na Coreia do Sul.

Com uma vitória arrasadora sobre a russa Olga Zabrodskaia, Alana mostrou em grande estilo o seu cartão de visitas em sua primeira luta internacional. No entanto, a jovem parou na húngara Nikolett Szabo no combate seguinte. A derrota não abalou a paulista, que venceu na repescagem a campeã paralímpica, a venezuelana Naomi Soazo. Na disputa do bronze, venceu a mexicana Lenia Alivarez, vice-campeã paralímpica, ao encaixar um lindo uchimata.

- Uma conquista inexplicável. Infelizmente numa bobeira não veio o ouro, mas o bronze veio e é um gostinho maravilhoso. Agora é trabalhar mais para o Parapan-Americano e para o Rio (Jogos Paralímpicos 2016) – comemorou a atleta.

Ao subir no pódio para receber a medalha de bronze, Lúcia Araújo manteve uma escrita no qual, desde 2010, a atleta consegue ficar entre as premiadas de uma competição. A medalhista de prata nos Jogos de Londres 2012 teve início promissor, e venceu duas lutas seguidas, contra Elena Bogdanova, da Rússia, e Serife Koseoglu, da Turquia, que a levaram para as semifinais contra a campeã mundial Inna Cherniak.

O combate contra a ucraniana foi duro, e Lucia acabou sendo derrotada. A chance de faturar mais uma medalha na carreira veio na luta do bronze contra a japonesa Junko Miwa. Lúcia não decepcionou e venceu por ippon após aplicar um o-soto-gari perfeito.

- Saio com o sentimento de dever cumprido, e com coisas ainda para melhorar. Seria estranho se eu não saísse daqui com medalha. Sinal de que o trabalho está dando certo. Infelizmente não deu para chegar ao topo, mas agora a gente vai trabalhar para o próximo evento e se preparar para não acontecer de novo esse tropeço – disse Lúcia Araújo.

Os brasileiros voltam a entrar no tatame sul-coreano na noite desta quarta-feira (13), a partir das 22h. Será a vez de Abner Nascimento, Deanne Almeida, Harlley Arruda e Michelle Ferreira partirem em busca de mais medalhas para o Brasil.

www.cbdv.org.br
Tadeu Casqueira

Mais...

Buscas

Todas as notícias