Tradutor/ Translate

Com múltiplas nacionalidades, dupla jovem é aposta de Pia na seleção

Com múltiplas nacionalidades, dupla jovem é aposta de Pia na seleção
Técnica espera que Ivana e Giovana optem por defender time brasileiro
Foto: © Sam Robles/CBF/Direitos Reservados

Entre as 25 convocadas pela técnica Pia Sundhage para o She Believes, torneio amistoso nos Estados Unidos e preparatório para a Olimpíada de Tóquio (Japão), dois nomes chamam atenção: Ivana Fuso e Giovana Queiroz. A primeira, meio-campista de 19 anos, nasceu em Salvador, mas atuou nas seleções de base da Alemanha, onde foi criada. A segunda, atacante de 18 anos, é de São Paulo, possui ainda nacionalidade espanhola e norte-americana e defendeu os três países na base, estreando na equipe principal do Brasil no fim do ano passado.

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

+ Marta, seis vezes melhor do mundo, renova com Orlando Pride até 2022

Judô Tênis

+ Seleção Brasileira feminina de Futebol, se apresenta nos EUA para torneio She Believes

O fato de elas integrarem o atual planejamento da seleção brasileira feminina, porém, ainda não significa que ambas tenham decidido defender o país natal em competições oficiais. Em postagens nas redes sociais, porém, as duas demonstram que estão satisfeitas. Em publicação no Instagram, Ivana celebrou a oportunidade de treinar com a craque Marta. “Sempre me imaginei jogando com ela, e hoje estou podendo realizar esse sonho”, registrou a meia do Manchester United (Inglaterra).

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

Em novembro, após vestir a camisa da seleção principal canarinho pela primeira vez, na goleada por 8 a 0 sobre o Equador, no Morumbi, em São Paulo, Giovana também celebrou em publicação no Instagram. “Sensação indescritível”, escreveu a jogadora do Barcelona (Espanha).

“Ainda não sabemos se Ivana e Giovana escolherão o Brasil. Esperamos que sim. São jogadoras de técnica e velocidade. Para ser honesta, isso não é importante [no momento]. O importante é que elas evoluam e contribuam. O que podemos fazer é o melhor para deixá-las confortáveis e possam competir”, disse Pia em entrevista coletiva por videoconferência na última quarta-feira (17).

Se Giovana já pôde ser observada pela técnica em outros momentos, Ivana vive a primeira experiência sob comando de Pia. A treinadora está empolgada com o que pôde ver da meio-campista e quer utilizá-la nos jogos do She Believes. A seleção brasileira estreia nesta quinta-feira (18), às 18h (horário de Brasília), contra a Argentina. No domingo (21), as rivais são as norte-americanas, anfitriãs e atuais campeãs mundiais, às 17h. A participação no torneio sediado no Exploria Stadium, em Orlando (EUA), termina no dia 24, diante do Canadá, às 18h.

“Pude vê-la [Ivana] em dois treinos e é muito boa. É uma verdadeira brasileira, de boa técnica, veloz, rápida. É um pouco diferente porque ela foi, digamos, educada no modo europeu e, especificamente, no modo alemão. Mas ela jogará conosco, veremos por quantos minutos e em quais jogos. Quero, sim, vê-la em ação com a seleção brasileira”, comentou a técnica.

Pia admite, inclusive, que mais jogadoras brasileiras e que tenham crescido no exterior, como Ivana e Giovana, podem ser observadas para integrarem, futuramente, a seleção nacional. Auxiliar da treinadora, a também sueca Lilie Person é uma das responsáveis pela análise.

“Agora estou concentrada nas atletas que estão aqui, mas é um próximo passo. Precisamos achar atletas que queiram contribuir com a seleção. A procura é contínua e as boas sempre chegarão aqui”, concluiu a técnica.

Fonte: Agência Brasil (agenciabrasil.ebc.com.br)

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.