Ouro, prata e bronze

Natação tem ouro, prata, bronze e recorde mundial júnior em Toronto

1289.V

COB
Thiago Pereira adia sonho de igualar recorde de medalhas em Pan-americanos

Thiago Pereira adia sonho de igualar recorde de medalhas em Pan-americanos

Aos 18 anos, Brandonn Almeida garantiu nesta quinta-feira, 16 de julho, a medalha de ouro nos 400m medley dos Jogos Pan-americanos Toronto 2015, com o tempo de 4min14s47, e estabeleceu o novo recorde mundial júnior. Na prova feminina dos 400m medley, Joanna Maranhão conquistou o bronze e superou o seu próprio recorde brasileiro, que já durava 11 anos – havia sido estabelecido nos Jogos Olímpicos Atenas 2004. Joanna fez o tempo de 4min38s07. A noite foi completada com a medalha de prata do revezamento feminino 4x200m livre.

Thiago Pereira, que poderia ter igualado o recorde de maior medalhista em Jogos Pan-Americanos do ginasta Eric Lopez – 22 medalhas, teve de adiar o seu sonho. O nadador brasileiro foi desclassificado nos 400m medley. Os juízes interpretaram que na virada do estilo peito para o crawl ele teria usado apenas uma das mãos, quando deveria ter batido na parede da piscina com as duas. Apesar de o Brasil ter entrado com recurso, ele foi recusado.

Brandonn lamentou a desclassificação de Thiago Pereira

"É uma pena porque a gente poderia ter feito uma dobradinha. Gostaria de subir no pódio com ele porque em 2011 eu o vi na televisão", disse o campeão.

Luke Reilly, do Canadá, ficou com a prata (4min16s16) e Max Williamson, dos Estados Unidos (4min16s91), com o bronze.

"Sabia que estava bem na prova mas não imaginava que ia fazer esse tempo", completou Brandon.

Aos 28 anos, Joanna Maranhão terminou o dia com mais duas medalhas no currículo. Ela havia terminado a prova dos 400m medley em quarto lugar, mas com a eliminação da canadense Emily Overholt, garantiu o bronze com o tempo de 4min38s07. O ouro ficou com Caitlin Leverenz, dos Estados Unidos (4min35s46), e a prata com Sydney Pickrem, do Canadá (4min38s03). Na última prova, ela nadou o revezamento 4x200m livre, que foi vice-campeão.

"Finalmente. Onze anos é muita coisa. Foi uma carga psicológica enorme. Tanta coisa passava pela minha cabeça. Pensei até em não nadar mais essa prova. Fiquei mais feliz", ressaltou Joanna.

No revezamento 4x200m livre as brasileiras Jessica Cavalheiro, Manuella Lyrio, Joanna Maranhão e Larissa Oliveira, estabeleceram também o novo recorde sul-americano (7min56s36). Os Estados Unidos (7min54s32) ficaram com o ouro e o Canadá, com o bronze (7min59s36).

"A gente veio para ganhar. Encaramos a equipe dos Estados Unidos, com uma campeã olímpica, e competimos de igual para igual. Foi uma atitude importante para o Mundial e para os Jogos Olímpicos", afirmou Joanna.

"Estou muito feliz. Nada como um dia após o outro. Ontem (quarta-feira) não foi o meu dia e virei a página. Briguei até o final pela medalha de ouro, e chorei de felicidade", completou Larissa, que fechou o revezamento.

www.cob.org.br/
COB

Mais...

Buscas

Todas as notícias