Triatlo

Cinco países garantem vaga olímpica no triatlo

2971.V

Divulgação/Brasil 2016
Prova serviu como evento-teste da modalidade e foi bem avaliada por público e participantes de modo geral

Prova serviu como evento-teste da modalidade e foi bem avaliada por público e participantes de modo geral

Rio 2016

Estados Unidos e Grã-Bretanha, no feminino, e Espanha, França e África do Sul, no masculino, chegaram ao pódio neste domingo

O Qualificatório de Triatlo, realizado no último domingo (2), em Copacabana, garantiu vaga para cinco países nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Estados Unidos e Grã-Bretanha, no feminino, e Espanha, França e África do Sul, no masculino, chegaram ao pódio. A prova também serviu como evento-teste da modalidade e foi bem avaliada por público e participantes de modo geral.

As vagas não são concedidas aos atletas e sim aos Comitês Olímpicos Nacionais que, junto com as Federações Nacionais, são responsáveis pela seleção das equipes para as os Jogos. Cada país adota um critério.

A largada da prova feminina foi dada às 9h. Entre as 70 competidoras, estava uma americana que acumulava uma sequência de onze primeiros lugares consecutivos em competições da Federação Internacional de Triatlo (ITU, na sigla em inglês). Gwen Jorgensen manteve-se no primeiro pelotão e terminou o percurso de 1,5km de natação, 40km de ciclismo e 10km de corrida em 1h58m46, dando aos Estados Unidos a vaga olímpica.

"O percurso é muito interessante, com uma subida muito difícil. Adorei a vista, o mar, as montanhas. Foi realmente muito bom ", disse.

A Grã-Bretanha ocupou os outros dois lugares no pódio, garantindo duas vagas para 2016. Em segundo lugar, ficou Non Stanford (1h59m05), e a medalha de bronze foi conquistada por Vicky Holland (1h59m27).

Participação brasileira

A brasileira mais bem colocada na prova foi Pâmella Oliveira, com o 15º lugar. Ela foi a segunda a sair do mar e fez um bom percurso de ciclismo, o que ajudou a atleta na corrida, sua modalidade mais frágil.

"Como eu esperava, foi uma prova muito dura, com as melhores atletas do mundo. O calor pra mim é muito bom, estou acostumada. Gostei do meu desempenho, não entrei na prova no meu 100%, mas tentei ser o mais inteligente possível na bicicleta para aguentar firme a corrida, que é meu ponto fraco. Gostei do meu resultado e daqui a um ano vai ser muito melhor", avaliou.

O Brasil tem direito a uma vaga em cada gênero por ser sede, mas outras podem ser conquistadas pelo ranking de classificação olímpica, que dará 39 vagas nos Jogos para o feminino e também para o masculino.

Prova masculina

Entre os homens, que largaram às 12h30, o espanhol Javier Gómez Noya, primeiro lugar no ranking mundial, foi o vencedor. Ele se manteve os primeiros na natação e no ciclismo, mas assumiu a ponta, de fato, somente na corrida. Em segundo lugar, ficou o francês Vincent Luis (1h48m40), seguido pelo sul-africano Richard Murray (1h49m01).

Espectadores

A família de Letícia Abaurre, arquiteta, costuma pedalar em Ipanema, mas veio até Copacabana para poder acompanhar o evento-teste. Para Letícia, é muito emocionante poder andar de bicicleta com a família e ter atletas logo ao lado, lutando por vagas olímpicas. "É emocionante saber que eles ralam muito e estamos aqui do lado deles podendo acompanhar este momento", disse.

O diretor de Instalações do Comitê Rio 2016, Gustavo Nascimento, informou que todos os testes necessários foram realizados com sucesso. "A gente só termina amanhã, temos que sair da rua e só depois fazer a avaliação completa. Mas hoje a gente pode dizer que foi tudo muito bem. Testamos tudo que precisávamos: a área de competição, o sistema de resultados", ressaltou.

Fonte:

Brasil 2016

www.brasil.gov.br
Brasil 2016

Mais...

Buscas

Todas as notícias