Toronto 2015

Natação alcança 88 medalhas e supera campanha da última edição do Parapan

1356.V

Jonne Roriz/MPix/CPB
Natação brasileira chegou a 88 medalhas no Parapan de Toronto. Foto: Jonne Roriz/MPix/CPB

Natação brasileira chegou a 88 medalhas no Parapan de Toronto. Foto: Jonne Roriz/MPix/CPB

No penúltimo dia de provas nas piscinas foram mais 20 pódios e três recordes da competição

A natação brasileira teve um dia especial nesta quinta-feira (13.08) no Parapan-Americanos de Toronto. A equipe somou mais 20 medalhas e chegou a 88 pódios, superando a campanha da edição anterior dos Jogos, em Guadalajara, no México. No total são 30 ouros, 24 pratas e 34 bronzes, contra 85 conquistas em 2011 (33 ouros, 23 pratas e 29 bronzes).

No penúltimo dia de disputas nas piscinas, o Brasil esteve em 17 finais, faturando seis ouros, quatro pratas e dez bronzes. Os nadadores brasileiros ainda quebraram três recordes da competição, com Andre Brasil, Maria Dayanne e Matheus Rheine. “O objetivo é, em todas as provas, independente da competição, melhorar muito o tempo. Eu vim pra cá com a ideia de baixar a marca que fiz no Mundial. Foi meu segundo melhor tempo na vida. A gente tem que analisar para ver como melhorar ainda mais, mas o ouro foi ótimo”, explicou Matheus.

Para completar, Carlos Farrenberg conquistou a medalha de número 200 do Brasil nos Jogos de Toronto ao vencer os 100m livre S13. O nadador, que teve uma intoxicação alimentar que o deixou de fora da final de ontem, comemorou bastante a conquista. “Não estou 100% ainda, mas valeu o esforço. Foi mais sofrido do que deveria”, disse o nadador, que espera estar recuperado para buscar mais uma medalha nesta sexta-feira (14.08) nos 100m borboleta S13.

Andre Brasil, que já havia conquistado dois ouros e uma prata antes das duas medalhas douradas de hoje, confessou que começou a sentir o cansaço da competição, mas nada que o impedisse a chegar em primeiro nos 100m costas S10 e baixar o recorde Parapan-Americano.

“Queria ter nadado um pouco melhor a prova, mas com esse tempo eu também teria sido campeão mundial. Não é minha melhor marca, mas aqui estão sendo muito mais provas. Estou cansado, feliz, contente. Falta mais um dia ainda”, disse o atleta que volta à piscina do Parapan Am Aquatics Centre para os 100m livre S10 e para o revezamento 4x100m medley 34 pontos.

Daniel Dias também somou dois ouros à sua coleção (que já contava quatro medalhas douradas) com as vitórias no 50m costa S5 e do revezamento 4x100m livre 34 pontos. “A estratégia aqui é de nadar bem as provas e estou conseguindo fazer e sair daqui com as conquistas”, explicou. Ele ainda disputará duas provas, os 200m medley S5 e o revezamento 4x100m medley 34 pontos.

Confira as conquistas da equipe brasileira do dia:

Ouro
Camille Rodrigues – 100 costas S9 – 1min16s15
Andre Brasil – 100m costas S10 – 1min00s56 (recorde Parapan-americano)
Daniel Dias – 50m costas S5 – 35s97
Carlos Farrenberg – 100m livre S13 – 55s00
Matheus Rheine – 100m livre S11 – 59s85 (recorde Parapan-americano)
Andre Brasil, Daniel Dias, Phelipe Andrews e Ruiter Silva – Revezamento 4x100m livre masculinho 34 pontos – 3min58s53

Prata
Mariana Gesteira – 100m costas S10 – 1min14s24
Talisson Glock – 50m borboleta S6 – 33s10
Esthefany Rodrigues – 50m costas S5 – 1min00s58
Filipe de Abreu – 100m livre S12 – 59s91

Bronze
Rildene Firmino – 150m medley – 3min44s71
Caio Amorim – 100m livre S8 – 1min02s32
Cecília Araújo – 100m livre S8 – 1min11s80
Verônica Almeida – 50m borboleta S7 – 38s74
Letícia Ferreira – 50m costas S5 – 1min01s03
Ronystony Cordeiro – 150m medley SM4 – 3min03s63
Guilherme Batista – 100m livre S13 – 58s26
Alex Viana – 100m livre S11
Renato Nunes – 100m livre S12 – 1min03s13
Raquel Viel – 100m livre S12 – 1min09s28

Veja a galeria de fotos no site: www.brasil2016.gov.br

www.brasil2016.gov.br
Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

Mais...

Buscas

Todas as notícias