Paratriatlo

Veterana de guerra, americana tricampeã mundial do paratriatlo sonha com o Rio 2016

2388.V

Alex Ferro/Comitê Rio 2016
Melissa Stockwell participa do evento-teste em Copacabana, onde obteve a medalha de prata

Melissa Stockwell participa do evento-teste em Copacabana, onde obteve a medalha de prata

Melissa Stockwell sofreu uma amputação no Iraque. Onze anos depois, estava em Copacabana conquistando a prata no evento-teste

No dia 13 de abril de 2004, a soldado americana Melissa Stockwell teve a perna esquerda amputada acima do joelho, em consequência de um ataque a bomba em Bagdá, no Iraque. E este poderia ser o fim da história para essa jovem com então 24 anos, que praticava ginástica na adolescência e sonhava com os Jogos Olímpicos.

Mas não. Onze anos depois, e a mesma Melissa Stockwell está recebendo a medalha de prata no evento-teste do paratriatlo no Forte de Copacabana. E este ainda não é o fim da história para ela: Melissa Stockwell quer subir novamente no pódio, agora nos Jogos Paralímpicos Rio 2016.

Ainda durante sua recuperação no hospital em Bagdá, Melissa tomou uma decisão: ela era uma mulher de sorte. Sua mente estava intacta. E foi essa decisão que a ajudou a superar a série de cirurgias e infecções pela frente, até os primeiros passos com a prótese, exatos 52 dias após a amputação da perna. Ainda assim, caminhar parecia pouco.

Melissa esquiou no Colorado. Percorreu de bicicleta de mão (handcycle) a maratona de Nova York – a qual, anos mais tarde, atravessaria correndo, já com a prótese. Até que, em 2005, tomou contato com os Jogos Paralímpicos, através do programa de militares e veteranos do Comitê Olímpico dos Estados Unidos. De olho nos Jogos Pequim 2008, Melissa começou a escrever um novo capítulo para sua história.

Em abril de 2008, ela se tornou a primeira veterana da guerra do Iraque a se classificar para os Jogos Paralímpicos. Nadou os 100m livre, 400m livre e 100m borboleta nas piscinas de Pequim, até que, em 17 de setembro, carregou a bandeira dos Estados Unidos na cerimônia de encerramento do evento. Novamente, era só o começo. Melissa acrescentou a corrida e a bicicleta à prática da natação, tornando-se uma atleta de triatlo.

Na classe PT2, que inclui amputados acima do joelho, ela foi tricampeã mundial (2010, 2011 e 2012), sendo eleita por duas vezes a paratriatleta do ano. No ano seguinte, mirou ainda mais alto, concluindo o Ironman de paratriatlo, que soma incríveis 3,086km de natação, 180,025km de bicicleta e 42,200km de corrida. No fim de 2014, como se não bastasse, teve um filho.

Em agosto de 2015, Melissa deixou o pequeno Dallas Patrick Tolsma aos cuidados do pai e foi nadar, pedalar e correr em Copacabana. Dividiu o pódio com as também americanas Hailey Danisewicz (ouro) e Seely Allysa (bronze). O triatlo fará sua estreia em Jogos Paralímpicos no Rio 2016, com 750m de natação, 20,64km de ciclismo e 5km de corrida. Será o início de uma nova história para o esporte. E, quem sabe, Dallas Patrick terá novas medalhas com que brincar.

Melissa Stockwell em família: atleta participou de evento-teste quando o bebê tinha apenas oito meses (Foto: reprodução de internet)

No dia 7 de setembro será aberto o período de solicitação de ingressos para os Jogos Paralímpicos Rio 2016. Confira a tabela de preços.

www.rio2016.org
Rio 2016

Mais...

Buscas

Todas as notícias