Rio 2016

Aquece Rio: melhores arqueiros do mundo desfilam habilidade no Sambódromo em evento-teste

3457.V

Alex Ferro/Rio 2016
Em outubro de 2014, o Sambódromo recebeu o Campeonato Brasileiro de Tiro com Arco

Em outubro de 2014, o Sambódromo recebeu o Campeonato Brasileiro de Tiro com Arco

Entre medalhistas Olímpicos e campeões mundiais, competição contará com 120 atletas e testará 28 áreas funcionais do Comitê Rio 2016

Entre os dias 15 e 22 deste mês, o Sambódromo do Rio de Janeiro sediará um espetáculo diferente: serão os melhores arqueiros do mundo que vão desfilar sua habilidade na Avenida Marquês de Sapucaí. O Desafio Internacional de Tiro com Arco é o 11º evento-teste para os Jogos Rio 2016 e reunirá 120 atletas (64 homens e 56 mulheres), que vão disputar as competições individual e por equipes em um dos cartões-postais mais icônicos da cidade.

Alguns dos melhores arqueiros do mundo, representando 27 países, estarão em ação no Aquece Rio – só de medalhistas na última edição dos Jogos Olímpicos serão 11. Grandes nomes do esporte, como Ki Bo Bae (líder do ranking mundial e campeã individual e por equipes em Londres 2012) e Im Dong Hyun (dois ouros e um bronze em Jogos Olímpicos), ambos da Coreia do Sul, e o italiano Marco Galiazzo (duas medalhas de ouro e uma prata em Jogos Olímpicos) farão uma competição de altíssimo nível no Rio de Janeiro e vão aproveitar para conhecer um pouco mais sobre as condições climáticas que enfrentarão nos Jogos Rio 2016.

“A competição é uma oportunidade única de preparação para os atletas. Será uma chance para se acostumar, por exemplo, com o vento. Num lugar com duas laterais fechadas como o Sambódromo, o corredor de vento pode provocar até uma turbulência, o que altera as condições do tiro para os arqueiros”, explicou Luiz Eduardo Almeida, líder de competição do tiro com arco do Comitê Rio 2016.

Se para os atletas o evento é uma chance de conhecer melhor as condições de competição mirando os Jogos Rio 2016, para o Comitê Organizador não é muito diferente. Serão 28 áreas funcionais testadas no evento, em preparação para os primeiros Jogos da América do Sul, representadas por 593 colaboradores que trabalharão durante o evento (77 funcionários do Comitê, 378 terceirizados e 138 voluntários).

“Todas as operações serão muito importantes, especialmente as que envolvem a área de competição, como a organização das disputas, o entretenimento esportivo, o controle de doping e os resultados. A acessibilidade também é um ponto central a ser testado. Para isso, inclusive, teremos também a participação de atletas com deficiência”, disse Almeida, referindo-se aos seis atletas cadeirantes (três homens e três mulheres) que participarão da competição.

Bicampeã Olímpica em Londres 2012, a sul-coreana Ki Bo Bae é um dos destaques do Aquece Rio (Foto: Paul Gilham/Getty Images)

Uma importante intervenção foi realizada no vão central do Sambódromo para garantir o melhor palco, tanto para os atletas, como para o público. Como o solo da arena de competição apresenta ondulações que poderiam dificultar o desempenho dos atletas, plataformas de 1m de altura foram instaladas para receber as competições.

“As plataformas garantem que todos os atletas atirem nivelados ao arco e conferem igualdade de condições às disputas, além de melhorar a visibilidade da competição para o público nas arquibancadas”, afirmou Rodrigo Rangel, gerente geral de instalação do Sambódromo.

A programação do Desafio Internacional de Tiro com Arco, sem ingressos para o grande público, terá início na próxima terça-feira (15), com as rodadas eliminatórias. As primeiras medalhas saem no fim de semana: no sábado (19) será definido o pódio das equipes femininas e, no domingo (20), o das equipes masculinas. Já as disputas individuais para as mulheres serão definidas na segunda-feira (21), e as dos homens, na terça-feira (22).

www.rio2016.org
Rio 2016

Mais...

Buscas

Todas as notícias