Rio 2016

Crianças do Complexo São Carlos têm oportunidade de experimentar o tiro com arco

3608.V

André Redlich/Rio 2016
Crianças aprenderam as noções básicas de tiro com arco antes de manusear equipamentos

Crianças aprenderam as noções básicas de tiro com arco antes de manusear equipamentos

Quatro arqueiros profissionais visitaram o Campo da Mineira para ensinar como praticar o esporte e promover uma pequena competição

Cerca de 50 crianças que moram no Complexo de São Carlos tiveram uma quarta-feira (16) diferente ao conhecer melhor um esporte não tão familiar ao público brasileiro: o tiro com arco. O Consulado da França, em parceria com o Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016 aproveitou a realização do Aquece Rio deste esporte – evento-teste que começou na terça-feira (15) e vai até a próxima terça-feira (22), no Sambódromo – e convocou quatro arqueiros profissionais para mostrar como manusear arcos, flechas e outros equipamentos.

No Campo da Mineira, localizado a 10 minutos a pé do Sambódromo, os atletas Renato Emílio (que competiu em quatro edições dos Jogos Olímpicos e foi campeão brasileiro por 21 vezes), Fábio Emílio (que disputa uma vaga nos Jogos Rio 2016), Patricia Layolle (atleta Paralímpica franco-brasileira) e Suzui Mattei (vice-campeã brasileira por equipe indoor) apresentaram à comunidade as principais regras e movimentos do esporte. Com instrução e apoio dos atletas profissionais, as crianças experimentaram pela primeira vez o tiro com arco. Após três horas de treino e de euforia, uma pequena competição elegeu os cinco melhores arqueiros da turma, que foram premiados com pelúcias do mascote Tom.

As crianças puderam conferir como funcionam os arcos e as flexas usadas em competições (Foto: André Redlich/Rio 2016)

Lucas Castro, de 12 anos, foi um dos premiados. “Nunca fiz tiro com arco antes, mas achei muito boa a sensação de acertar no amarelinho. Meu segredo para ganhar foi fazer o que a tia me disse: mirar um pouco mais para baixo do alvo. A gente acha que a flecha vai descer, mas, de repente, ela sobe!”, destacou Lucas. Tauã Amaro, de 11 anos, chegou à semifinal da disputa: “Meu esporte preferido é futebol, mas hoje não joguei para participar da competição do tiro com arco”.

Depois de praticar, as crianças puderam conferir nos alvos quem mostrou melhor pontaria (André Redlich/Rio 2016)

Os atletas também se entusiasmaram. “Eles já estão até gritando meu nome, acho que nunca dei aula para tanta criança junta”, comentou Fábio Emílio. “O tiro com arco envolve muita educação e direcionamento. Só tem a acrescentar para a vida das crianças”, completou Fábio.

Alexandre Santos, produtor cultural e morador do São Carlos, ressaltou o interesse natural do público infantil. “O esporte e a cultura nunca podem ser impositivos para as crianças, precisam ser uma conquista. Elas foram se aproximando aos poucos, espontaneamente, para experimentar o tiro com arco. Quando percebemos, a quadra já estava cheia”.

Por meio de parceiros locais, o Rio 2016 convidou 160 jovens do Complexo do São Carlos para a competição oficial do Aquece Rio no fim de semana, onde poderão acompanhar de perto a performance de atletas do mundo todo.

www.rio2016.org
Rio 2016

Mais...

Buscas

Todas as notícias