Judô

Judô será uma das modalidades presentes no Surdolimpíada nacional em Julho

11.V

CBJ
Modalidade já está marcada na história dos esportes voltados para deficientes auditivos como a primeira medalha brasileira nas Surdolimpíadas Internacionais.

Modalidade já está marcada na história dos esportes voltados para deficientes auditivos como a primeira medalha brasileira nas Surdolimpíadas Internacionais.

Judô será uma das modalidades presentes na Surdolimpíada nacional, competição multiesportiva voltada para atletas com deficiência auditiva, que será realizada em Blumenau, Santa Catarina, de 19 a 24 de julho. O objetivo é avaliar os atletas poderão participar das Surdolimpíadas (Deaflympics), os Jogos Olímpicos para Surdos que acontecerá de 18 de julho a 30 de julho de 2017, em Samsun, na Turquia.

“O evento contará com diversas modalidades esportivas e tem como objetivo selecionar os melhores surdoatletas para treinamentos e possível participação nos Jogos Pan-Americanos e nas Surdolimpíadas de 2017”, disse Deborah Dias, vice-presidente da Confederação Brasileira de Desportos dos Surdos – CBDS.

A Confederação Brasileira de Desportos dos Surdos explica que os surdos que desejarem ser atletas devem procurar uma Associação de Surdos na sua cidade e tornarem-se sócios. A pessoa surda deve participar dos eventos nacionais por meio de seus clubes ou federações desportivas. Deverá participar dos treinamentos da Seleção Brasileira, representada pela CBDS. Após esse processo, a comissão técnica da seleção da modalidade escolhida convoca os melhores surdoatletas.

Para comprovar a surdez, o atleta deverá se submeter a uma audiometria que acuse uma perda de audição acima de 55dB nos dois ouvidos. Para participar nos eventos internacionais, há um formulário no padrão internacional, fornecido pelo ICSD. Uma vez aprovada, a pessoa será considerada surda e não será necessário repetir os exames de audiometria.

História - Organizada pelo Comitê Internacional de Desportos de Surdos – ICSD e com periodicidade de quatro anos, a Surdolimpíada surgiu na França com o nome de Jogos Internacionais Silenciosos em 1924. Desde 2000, adotou-se o nome Surdolimpíadas. Ao todo, são disputadas 20 modalidades na competição.

A primeira vez que o Brasil enviou representantes para a Surdolimpíada foi em 1993, em Sofia, na Bulgária. A primeira medalha conquistada pelo país foi em 2009 nas Surdolimpíadas de Taipei, em Taiwan. Alexandre Soares Fernandes fez história ao conquistar a medalha de bronze no judô, categoria até 81 kg.

“A medalha representou mais do que um título. Foi a superação. O importante foi mostrar para a comunidade surda que sou capaz de tudo, tanto quanto os ouvintes. O esporte é minha vida. Comecei a praticar judô escondido da minha mãe, pois ela tinha medo que eu me machucasse”, disse Alexandre.

O número de atletas brasileiros presentes nas Surdolimpíadas Internacionais no ano que vem depende de patrocínio. A estimativa é de que participem entre 100 a 150 surdoatletas.

www.cbj.com.br
CBJ

Mais...

Buscas

Todas as notícias