Judô

Brasil é campeão do Super Desafio BRA contra Coreia do Sul

1785.V

Mayara Ananias/CBJ
Nathália Brígida, Ketleyn Quadros e João Marcos Cesarino marcaram os pontos brasileiros na vitória por 3 a 2 contra os sul-coreanos.

Nathália Brígida, Ketleyn Quadros e João Marcos Cesarino marcaram os pontos brasileiros na vitória por 3 a 2 contra os sul-coreanos.

O Brasil conseguiu mais uma vitória no Super Desafio BRA ao derrotar a seleção da Coreia do Sul na disputa por equipes mistas por 3 a 2, na manhã deste sábado, 09. O evento aconteceu no ginásio Dom Bosco, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, que receberá também neste final de semana as disputas do Campeonato Brasileiro da Região IV.

"A Coreia do Sul é um país com grande tradição no judô e era esperado que fizesse um duelo duro com o Brasil. Foi uma vitória completa, tanto no campo esportivo, quanto em termos de público, da organização do evento. A cidade de Campo Grande e a Federação de Judô do Mato Grosso do Sul compraram a ideia e essa parceria foi fundamental para o sucesso do evento", comemorou o presidente da CBJ, Paulo Wanderley Teixeira, que acompanhou o duelo no ginásio.

A disputa começou com vitória de Nathália Brígida (48kg) por um yuko contra Yujeong Kang. Em seguida, Gabriel Pinheiro (66kg) teve dificuldades contra Young-Jin Ham (KOR), que conseguiu empatar o placar pontuando com waza-ari contra o brasileiro.

"Abrir a competição é uma pressãozinha maior e se você começar com vitória dá mais motivação para a equipe. Foi uma luta difícil. O estilo sul-coreano é de muito volume, não conhecia muito bem minha adversária, mas consegui achar o espaço e pontuar para sair com a vitória", avaliou Brígida.

No terceiro combate, a medalhista olímpica Ketleyn Quadros (63kg) conseguiu um yuko, fez a transição para a luta no solo e finalizou o combate com um juji-gatame (chave de braço), fazendo Eun-Sol Choi desistir da luta.

"A Coreia do Sul tem muita tradição. Tem que ter paciência para aproveitar a oportunidade. Consegui aproveitar no chão, jogando de yuko e fazendo a transição para a chave de braço. Essa transição foi também uma conquista para mim. Fomos campeões e isso é o significado de equipe. Quando um não está bem o outro ajuda. Fico feliz de ter participado e, apesar de ser a mais experiente do grupo, aprendi muito também com cada um deles", comentou Ketleyn ao final da disputa.

No quarto e decisivo confronto, João Marcos Cesarino (+100kg) pontuou com yuko e, em sequência, conseguiu o ippon contra Kyeongtae Kim dando a vitória do Super Desafio BRA ao Brasil.

"Entrei meio nervoso, mas depois que senti que dava para fazer minhas técnicas fiquei mais tranquilo. Estudei bastante o adversário, vi alguns vídeos dele ontem e isso foi fundamental para a vitória", disse Cesarino.
Atleta da casa, Camila Gebara Nogueira (+78kg) foi para o último confronto com o Brasil já campeão, mas não relaxou. A luta terminou empatada nos shidos (1-1) no tempo normal e, no golden score, a brasileira acabou levando um shido, fechando o Super Desafio em 3 a 2 para o Brasil.

"Faltou um pouco mais de experiência e de força", contou Camila, cujos pais estavam na arquibancada do ginásio torcendo pela filha. "Às vezes eu consigo ouvir os gritos da minha mãe, quando preciso de um gás a mais olho para arquibancada e vejo meus pais, com certeza me fortalece."
A delegação brasileira foi composta ainda pelo gerente de alto rendimento, Amadeu Moura; pela técnica, Yuko Fujii, e pelo fisioterapeuta, Gabriel Bogalho. O chefe da delegação sul-coreana é Min-Su Kim e os técnicos serão Munkyung Jang e Eun-Hee Kim, que avaliou positivamente a experiência para seus atletas.

"Foram combates muito duros. Acredito que este tipo de experiência é muito importante para esses atletas, porque assim eles poderão retornar para a Coreia e dividir com os companheiros isso que eles viveram aqui", disse Min-Su Kim.
O confronto com a Coreia do Sul foi o segundo Super Desafio BRA do ano. A seleção já lutou contra a Mongólia e venceu por 5 a 0 no duelo realizado em março, em São Paulo.

O próximo compromisso da seleção principal do Brasil será o Campeonato Pan-Americano de Judô que acontecerá em Havana, Cuba, nos dias 29, 30 de abril, e 1º de maio.

www.cbj.com.br
CBJ

Mais...

Buscas

Todas as notícias