Judô

Seleção olímpica finaliza semana de treinos em Pindamonhangaba

1314.V

CBJ
Judocas foram ao dojo pela última vez na manhã desta sexta-feira, 17, para treino técnico

Judocas foram ao dojo pela última vez na manhã desta sexta-feira, 17, para treino técnico

Depois de cinco dias de treinos intensos, os judocas da seleção olímpica masculina e a meio-pesado Mayra Aguiar foram ao dojo pela última vez na manhã desta sexta-feira, 17. Ao longo da semana, os atletas realizaram treinos técnicos de tachi waza (luta em pé) e ne waza (luta no chão), além de simulação de lutas (randoris) e exercícios de força e potência comandados pelos senseis Luiz Shinohara, Fulvio Miyata, Yuko Fujii, Mário Sabino e Moacir Mendes apoiados por toda a comissão multidisciplinar da CBJ.

“O volume de treino foi muito bom e isso, para minha categoria que tem muito volume de luta, é fundamental”, destacou Rafael Buzacarini, que representará o Brasil no peso-meio-pesado no dia 11 de agosto. “Além disso, o trabalho dos ukes (judocas de apoio) também foi muito importante para que o treino rendesse”, completa o atleta que contou com a ajuda dos judocas Gustavo Assis, Gabriel Gouveia, Rubens Inocente e Renan Nunes.

Cada um dos oito atletas olímpicos contou com quatro parceiros de treinos. Uma oportunidade única de crescimento conjunto, segundo o peso-leve Eduardo Katsuhiro, apoio de Alex Pombo na atividade.

“É uma honra para a gente poder ajudar e participar desse processo para os Jogos Olímpicos”, considera. “Eu me dôo, mas também aprendo muito com o Alex. Dou dicas e ele também me corrige. Não tem rixa por sermos do mesmo peso. É muito positivo, pois é uma parceria, uma troca que beneficia a todos os envolvidos.”

Nos cinco dias, os atletas tiveram duas sessões diárias de treino, exceto na quarta-feira de manhã, que foi folga. Na primeira parte, foram feitas simulações de combate no mesmo horário em que os atletas lutarão nos Jogos, a partir das 10h. Após os randoris, os treinos seguiam para exercícios de ne waza com os atletas já cansados. Estratégia proposital, de acordo com o técnico Moacir Mendes, que simula melhor a realidade da luta.

“Trabalhamos muito a questão de defesa ativa no chão, que era um ponto mais carente para a maioria dos atletas. Colocamos os judocas em diversas situações com o grupo de apoio partindo para o ataque, tanto em situações em que luta já está no chão, quanto situações de transição. O objetivo é automatizar essas táticas de defesas no ne waza”, explica Mendes

Os judocas retornam para seus clubes na tarde desta sexta-feira. A seleção masculina voltará a se reunir para treinamento de campo no período de 4 a 8 de julho, também em Pindamonhangaba.

www.cbj.com.br
CBJ

Mais...

Buscas

Todas as notícias