Equoterapia

Centro de Equoterapia de Macaé transforma vidas

1808.V

Ana Chaffin
Atividades com cavalos estimulam desenvolvimento psicomotor dos beneficiados

Atividades com cavalos estimulam desenvolvimento psicomotor dos beneficiados

Um espaço que promove a qualidade de vida para pessoas com necessidade de desenvolvimento físico, psicológico e social. Assim é o Centro de Equoterapia de Macaé (CEM) que funciona no Parque de Exposições Latiff Mussi Rocha. Cerca de 200 famílias recebem o serviço, entre crianças, adultos e idosos, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O tratamento é direcionado a pessoas com paralisia cerebral, síndrome de down, autismo e outras indicações médicas para um trabalho complementar que busca a evolução da psicomotricidade, por meio de atividades lúdicas com cavalos.
A dona de casa Elisângela Rodrigues dos Santos tem uma filha, de seis anos, que nasceu com hidrocefalia. "Ela faz sessões de equoterapia há dois anos e um mês. O serviço mudou a vida da minha filha completamente. Hoje, ela melhorou o equilíbrio, visão, independência, evolução na escola, além de já ficar em pé e se alimentar sozinha. Recebemos tudo isso, gratuitamente, com uma equipe dedicada. Isso transforma a vida de qualquer um", destaca.

O subsecretário de Agroeconomia, Marcelus Siqueira, afirma que o espaço conta com cavalos preparados e toda estrutura necessária para a terapia. "A ideia é, por meio do serviço humanizado, promover a evolução dos praticantes da equoterapia que, no dia 12 de julho, completará três anos", afirma.

De acordo com a coordenadora do CEM, Marcele Souza Maia, a utilização do cavalo é um método de terapia com vários benefícios: melhora o equilíbrio e a postura; desenvolve a coordenação de movimentos entre tronco, membros e visão; estimula os órgãos do sentido; promove organização e consciência do corpo; motiva o aprendizado; aumenta a capacidade de independência e de decisão.

- Equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas da saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiências e/ou necessidades especiais - explica a coordenadora.

A equoterapia funciona com uma equipe multidisciplinar formada por condutores, fisioterapeutas, fonoaudólogos, psicólogos, tratadores e educadores de animais. O treinador Neilton da Conceição Félix trabalha com cavalos há 30 anos. "O nosso serviço envolve pessoas especiais, por isso, é importante que o animal esteja adestrado para a atividade. É necessário perceber a confiança para realizarmos esse trabalho", frisa.

A dona de casa Cátia Cilene Santos da Silva tem uma filha de três anos com síndrome de down. A paciente frequenta a equoterapia desde os sete meses. "Com dois anos e meio ela começou a andar, interagir e desenvolver a fala. Isso é muito gratificante para nós", revela.

Para participar do programa, é necessário comparecer ao Parque de Exposições Latiff Mussi Rocha com documentos de identificação e encaminhamento médico para cadastro na fila de espera.

www.campos.rj.gov.br
Tatiana Gama

Mais...

Buscas

Todas as notícias