Tradutor/ Translate

Ferroviária decide hoje a Libertadores Feminina buscando o bicampeonato

Ferroviária decide hoje a Libertadores Feminina buscando o bicampeonato
Paulistas pegam surpreendente América de Cali, algoz do Corinthians
Foto: © Divulgação/Conmebol/Direitos Reservados

Do inferno ao (quase) céu. Falta pouco para a Ferroviária coroar o que já é uma fantástica volta por cima na edição 2020 da Libertadores Feminina, na Argentina. Neste domingo (21), as Guerreiras Grenás encaram o América de Cali (Colômbia) no estádio José Amalfitani, casa do Vélez Sarsfield, em Buenos Aires, valendo o segundo título continental da história do clube. O jogo será transmitido ao vivo na página oficial da competição no Facebook.

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

Foi nesse mesmo estádio que a Ferrinha, no último dia 6, largou na fase de grupos da Libertadores da pior forma possível, perdendo de 4 a 0 para o Libertad/Limpeño (Paraguai). Na rodada seguinte, novamente no José Amalfitani, o empate por 1 a 1 com o Peñarol (Uruguai) deixou o time de Araraquara (SP) com a obrigação de golear a já classificada Universidad de Chile no último duelo do Grupo D e torcer por um empate entre paraguaias e uruguaias, que se enfrentariam simultaneamente.

Judô Tênis

Começa no dia 17 de abril o Brasileirão Feminino da série A-1

No estádio do Vélez, as paulistas fizeram a parte delas, e venceram as chilenas por 4 a 1, igualando-se ao Libertad/Limpeño em pontos (quatro) e saldo (-1), ficando à frente no número de gols marcados (cinco a quatro). Terminada a partida, as jogadoras grenás ainda tiveram que aguardar o apito final do outro jogo, no estádio Nuevo Francisco Urbano, em Moron, para, enfim, celebrarem a, antes improvável, vaga nas quartas de final.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

É CAMPEÃO!!! É CAMPEÃO!!! Botafogo é Campeão Carioca Feminino de Futebol

No mata-mata, a Ferroviária eliminou o River Plate (Argentina) por 1 a 0 em duelo truncado e prejudicado pelas condições do gramado do estádio de Moron, encharcado pela chuva que caiu antes (e durante) o jogo. No mesmo local, pela semifinal, as brasileiras reencontraram a Universidad de Chile, no confronto mais tenso da campanha. As Guerreiras Grenás criaram oportunidades, mas não balançaram as redes. O empate em 0 a 0 levou a decisão aos pênaltis. A goleira Luciana, uma das mais experientes e referências do elenco, brilhou com três defesas e levou a Ferrinha à segunda final de Libertadores seguida. Em 2019, elas perderam para o Corinthians.

A pandemia do novo coronavírus (covid-19) levou a Libertadores, inicialmente marcada para setembro do ano passado, a ser adiada para março deste ano, sendo o primeiro desafio dos times brasileiros em 2021. Recém-contratada, a técnica Lindsay Camila, que era auxiliar da seleção feminina sub-17, teve que estrear, de cara, na mais importante competição do ano para o clube grená. E não estava sozinha. As zagueiras Yasmin e Ana Alice, as meias Duda e Leidiane e a atacante Lurdinha, reforços trazidos para a temporada, também debutaram no torneio sul-americano.

Campeão Lyon será rival do PSG de Formiga e Luana na Champions Feminina

“O grupo cresceu, cada uma de nós cresceu muito aqui. Estamos no começo de trabalho, então tem muita coisa ainda para acontecer e é só aproveitar os momentos. É muito satisfatório estar aqui e poder vivenciar tudo isso”, disse Lindsay em entrevista após a classificação sobre a Universidad de Chile.

Ferroviária está na final da Libertadores Feminina

Apesar das caras novas, o elenco tem jogadoras que sabem o gosto de serem campeãs sul-americanas pela Ferroviária. Cinco das 20 atletas relacionadas para a competição de 2020 estiveram no time vencedor da Libertadores de 2015, quando as paulistas derrotaram o Colo-Colo (Chile) por 3 a 1 na final. A lateral Barrinha (que fez um gol na decisão), a zagueira Luana e as meias Nicoly, Rafa Mineira e Daiane (lateral à época) faziam parte do grupo. As cinco estiveram em campo no jogo do título e só Luana, então com 16 anos, saiu do banco.

Do outro lado, o América de Cali pode se tornar o segundo time colombiano a vencer a Libertadores Feminina, repetindo o feito do Atlético Huila, campeão em 2018 em cima do Santos. As Diabas Vermelhas, como são conhecidas, chegaram à final ao surpreenderem o Corinthians, principal favorito, na semifinal. Diante de um rival que marcou 35 gols em cinco partidas (média de sete por jogo), as americanas souberam se defender, conseguiram um heroico empate por 1 a 1 nos acréscimos da etapa final e levaram a melhor nos pênaltis.

“Temos um grupo maduro. Sabíamos que uma hora poderia acontecer. Poderia ser nossa nona final de campeonato consecutiva. O que a equipe fez é marcante, histórico, difícil de ser feito. Sabemos que não somos imbatíveis, e isso [derrota na semifinal] também não quer dizer que o trabalho não esteja sendo bem-feito. Seguimos com otimismo, sempre pensando em vencer”, disse o técnico corintiano, Arthur Elias, à Corinthians TV, antecedendo o duelo pelo terceiro lugar, contra a Universidad de Chile, que também será neste domingo, às 17h, no José Amalfitani, com transmissão pelo Facebook.

Publicado em 21/03/2021 – 08:00 Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional – São Paulo

Edição: Fábio Lisboa

Fonte: Agência Brasil (agenciabrasil.ebc.com.br)

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.