Esgrima

Equipe de Espada é eliminada na primeira rodada

892.V

Wander Roberto/Exemplus/COB
Nathalie Moellhausen, Amanda Simeão e Rayssa Costa foram superadas pela Ucrânia por 45 a 32

Nathalie Moellhausen, Amanda Simeão e Rayssa Costa foram superadas pela Ucrânia por 45 a 32

A equipe brasileira feminina de esgrima, categoria espada, foi eliminada pela Ucrânia na primeira rodada, por 45 a 32, despedindo-se dos Jogos Olímpicos Rio 2016 na manhã desta quinta-feira, 11 de agosto, na Arena Carioca 3. Nathalie Moellhausen, Amanda Simeão e Rayssa Costa até conseguiram manter uma disputa parelha nos dois primeiros rounds, que terminaram com vitória das ucranianas por apenas quatro pontos: 21 a 17. Mas, no terceiro e último round, a distância aumentou ao longo dos dois primeiros duelos. Quando Nathalie entrou em cena para o confronto final, contra a medalhista de ouro olímpica de Londres 2012, Yana Shemyakina, o placar já marcava 30 a 19 para as adversárias. A torcida gritava “eu acredito!”, mas Nathalie sabia que dificilmente tiraria 11 pontos em três minutos. Ainda assim, lutou até o fim, num combate aberto que acabou vencido por Yana por 15 a 13.

"Não dá para tirar tanta diferença em três minutos", comentou ela, que na disputa individual de espada, no último sábado, dia 6, se tornou a primeira brasileira a chegar às quartas-de-final olímpica na esgrima: "Por um lado, o sentimento é de grande felicidade por olhar minha escolha pelo Brasil e saber que foi boa. Mas vou embora dos Jogos também com o sentimento de não ter uma medalha, um sentimento que não me deixa dormir. Faltou pouco. Não posso deixar desse jeito, vou tentar de novo em Tóquio", afirmou.

Aos 22 anos, Amanda também já pensa na próxima edição olímpica. A atleta chegou a vencer um de seus combates, por 4 a 1, contra Kseniya Pantelyeyeva – que também foi derrotada por Nathalie por 3 a 2. "A gente é uma equipe muito nova ainda, precisa de mais tempo junta, de mais constância. Mas venci um duelo, perdi os outros dois por pouco, 5 a 2 contra uma campeã olímpica", disse.

www.cob.org.br
COB

Mais...

Buscas

Todas as notícias