Judô

JUDÔRIO brilha nas Paralimpíadas com a medalha de Prata de Wilians Araujo

99.V

FJERJ

No último sábado, dia 10 de Setembro de 2016, a Estrela do Judô do Estado do Rio de Janeiro brilhou nas Paralimpíadas com a conquista da Medalha de Prata de Wilians Araujo (+100 kg), atleta do Instituto Benjamin Constant e filiado a FJERJ pela Academia Projeção.

O trauma de ter perdido a medalha em Londres ficou no passado.

Wilians de Araújo quase desistiu do judô depois dos Jogos de 2012. Sorte do Judô Carioca e Brasileiro que o gigante de 1,90m e 135 kg persistiu, cresceu no ciclo paralímpico do Rio de Janeiro e conquistou o tão sonhado pódio.

O garoto que cresceu no Complexo do Alemão e ficou cego após um acidente doméstico só queria ter oferecido mais resistência para o uzbeque Adiljan Tuledibaev. O atual campeão mundial precisou de apenas dois segundos para se tornar também campeão paralímpico.

- Não tem como esquecer essa final. Tenho que aprender com meus erros. Eu estava concentrado, mas não esperava que ele fosse entrar no momento que andei para trás. Eu sou B1 (cegueira total), ele é B3 (menor grau de deficiência visual). Ele foi feliz. Mas eu vim para fazer história e fui feliz. Nada vai tirar o brilho dessa medalha, minha primeira em Paralimpíadas. Foi a concretização de um trabalho que envolve muitas pessoas, que acreditaram em mim e me incentivaram. Ganhei não só por mim, mas por todos eles. Coroou meu ciclo. Ganhei medalhas em todas as competições internacionais. Essa prata foi o pico desse ciclo - contou Wilians.

Número 1 do ranking mundial, Wilians se impôs nos confrontos rumo à final. Foi ippon sobre o iraquiano Garrah Albdoor na estreia. Na semifinal, mais um lindo ippon no cubano Yangaliny Jimenez em uma revanche do Parapan-Americanos de 2015 - o rival é o atual vice-campeão mundial. Só que na decisão foi a vez dele de ir ao chão.

A derrota relâmpago na final não diminuiu o orgulho de Wilians. Ele honrou o pedido do irmão Wellington, que há quatro anos o pediu para persistir na carreira e não desistir depois de ter perdido a disputa do bronze em Londres.

- Essa medalha vai me dá mais confiança. Ainda não tenho dimensão do que consegui fazer. Vou curtir essa medalha primeiro, mas me dá mais combustível para quem sabe buscar o ouro em 2020. É uma possibilidade - disse Wilians.

Aos 25 anos, Wilians Araújo disputou a sua primeira final paralímpica. Este ano, ele já havia conquistado o ouro no Open da Alemanha. O judoca também detém um bronze individual em Mundial e um ouro por equipes, além de duas pratas em Jogos Parapan-Americanos (Guadalajara-2011 e Toronto-2015).

O Brasil já havia conquistado outras duas medalhas no judô. Alana Maldonado conquistou a prata na categoria até 70 kg, enquanto que Antônio Tenório também ficou em segundo na categoria até 100 kg. Na última sexta-feira, Lúcia Araújo conquistara a prata na categoria até 57 kg.

Outra atleta carioca que participou das Paralimpíadas Rio 2016 foi FERREIRA CARDOSO, Karla B3, atleta do Clube de Regatas do Flamengo, que logo no seu primeiro combate foi derrotada por HALINSKA, Yuliya B2 (UKR) e na repescagem foi superada por TASIN, Ecem B2 (TUR), ficando fora da disputa por medalhas.

O judô na Paralimpíada é disputado por atletas com deficiência visual, da classificação B1, a mais severa, à B3, a mais moderada. Todos competem juntos, em suas respectivas categorias de peso.

O JUDÔ CARIOCA e a FEDERAÇÃO DE JUDÔ DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO parabenizam os Atletas pelas participações nas Paralimpídas Rio 2016 e em especial a Wilians Araujo pela inédita conquista da Medalha de Prata.

www.judorio.org
FJERJ

Mais...

Buscas

Todas as notícias