Judô

Brasil terá cinco duplas no Mundial de Kata Malta 2016

1438.V

CJB
Judô brasileiro será representado em quatro Katas. Competição será realizada nos dias 1º e 2 de outubro

Judô brasileiro será representado em quatro Katas. Competição será realizada nos dias 1º e 2 de outubro

O Brasil será representado por cinco duplas em quatro Katas no Mundial de Kata Malta 2016. As disputas no Tal-Qroqq University Sports Hall serão realizadas nos dias 1º e dois de outubro. No sábado, primeiro dia, o judô nacional terá cinco duplas em ação. São eles Wagner Uchida e Paulo Ferreira no Nage-no-Kata; Aline Sukino e Juliana Maestá no Ju-no-Kata; e Eduardo Maestá e Roger Uchida e Henrique Costa e Gabriela Costa no Katame-no-Kata. Já no domingo é a vez de Sidney Fukayama e Airam Rodrigues no Kime-no-Kata. A delegação é chefiada pelo sensei Rioiti Uchida, multicampeão de Kata. Nos dias 3 e 4 ainda haverá um Treinamento de Campo pós-competição.

No último Mundial, o Brasil foi representado por três duplas: Eduardo Maestá e Roger Uchida (Katame-no-Kata), Aline Sukino e Juliana Maestá (Ju-no-Kata) e Wagner Uchida e Paulo Ferreira (Nage-no-Kata). Uchida e Ferreira ficaram na quinta colocação, a melhor posição entre os brasileiros.

"Treinamos muito para que neste ano a gente consiga alcançar novamente a fase final. Sabemos do nosso potencial mas não será fácil porque teremos adversários fortes como a dupla japonesa, atuais campeões mundiais, e a belga, terceira colocada no Mundial do ano passado, no nosso grupo", disse Wagner Uchida.

Os Katas do judô são o conjunto das técnicas fundamentais, um método de estudo especial, para transmitir a técnica, o espírito e a finalidade do judô. O kata foi desenvolvido com o propósito de ensinar os aspectos básicos das técnicas do judô e sua etiqueta apropriada. No Kata competitivo são avaliadas a precisão dos movimentos praticados e a sincronia entre os dois judocas, dentre outros. A execução deve ser impecável.

O Nage no Kata é um dos dois randori-no-kata de Judô Kodokan e é uma ilustração dos vários conceitos de nage-waza (técnicas de arremesso). Já o Katame no Kata é o segundo randori-no-kata e consiste em uma ilustração dos vários conceitos de katame-waza (técnicas de luta de solo). Ambos são usados tanto como um método de treinamento quanto como uma demonstração de compreensão dos conceitos.

Ju no kata é projetado para ensinar os princípios fundamentais de judô, em especial o princípio do ju (produzindo ou suavidade) e é composto por três conjuntos de técnicas. Todos os katas são realizados por um par de judocas sendo que um atuando como Uke (que recebe a ação) e o outro como Tori (que faz a ação).

Kime no Kata é uma série de movimentos para autodefesa. É composto por 08 técnicas de uma postura ajoelhada (idori-waza) e 12 técnicas de uma posição de pé (tachiai-waza). Ambos os conjuntos de técnicas devem conter defesas para ambos os ataques armados e de mãos vazias.

Goshin Jutsu é um conjunto de formas de autodefesa. É o mais recente kata de Judô, tendo sido criado em 1956. Ele incorpora técnicas de aikidô e consiste em várias técnicas para se defender de ataques desarmados ou com armas.

www.cbj.com.br
CBJ

Mais...

Buscas

Todas as notícias