Judô

Por desempenho no Curso de Capacitação de Técnicos e na Seletiva de Base, treinadores são convocados para Estágios Internacionais

779.V

CBJ
André Fernandes Filho, primeiro contemplado, já esteve na Turquia e agora segue para a Croácia para disputa da Copa Europeia Juvenil. Robert Marques Rodrigues, um dos destaques na Seletiva de Base, irá para o Estágio Internacional Sub 21

André Fernandes Filho, primeiro contemplado, já esteve na Turquia e agora segue para a Croácia para disputa da Copa Europeia Juvenil. Robert Marques Rodrigues, um dos destaques na Seletiva de Base, irá para o Estágio Internacional Sub 21

Um dos benefícios proporcionados pelo Curso Nacional de Capacitação para Técnicos de Judô (CNCTJ) da CBJ promovido no ano passado era dar ao treinador com melhor desempenho a oportunidade de acompanhar a delegação brasileira em algum campeonato internacional. E a Gestão das Equipes de Base comprou a ideia e vai levar, além do classificado pelo CNCTJ, um técnico com desempenho relevante na Seletiva de Base. É um projeto inicial e que deve ser ampliado para os próximos anos.

"A qualificação é fundamental para o desenvolvimento contínuo do judô brasileiro que começa pela Base. Por isso, o critério escolhido para contemplar uma das vagas existentes nesse projeto foi o desempenho no CNCTJ. A outra vaga foi destinada a um treinador que tivesse mostrando um trabalho consistente na formação de novos atletas, especialmente na Seletiva no final do ano. Foi difícil escolher porque vários professores têm tido um desempenho muito bom", disse Marcelo Theotônio, Gestor das Equipes de Base.

O primeiro a ser contemplado foi o professor André Fernandes Filho, do Esporte Sem Fronteiras, do Centro de Treinamento da UFMG e da Federação Mineira de Judô, que acompanhou os 34 atletas da equipe Sub 18 que disputou – e foi campeã – no último final de semana da Copa Europeia Juvenil de Antalya, na Turquia, e que nesta quarta-feira, 08 de março, segue para a Croácia para participar da Copa Europeia Juvenil de Zagreb nos próximos dias 11 e 12.

“É quase um prêmio por uma história de vida dedicada ao judô. Nunca tive nenhum tipo de planejamento para ser treinador de seleção brasileira, mas como surgiu uma oportunidade através de um desempenho pessoal, comecei a pensar nisso. Chegar à seleção é uma grande honra pra mim”, disse André, ao portal da EEFTO da UFMG antes mesmo da viagem.

Em 2013, André esteve com a seleção Sub 18 que disputou a Gymnasíade, os Jogos Mundiais Escolares, em Brasília. Mas essa é sua primeira vez viajando internacionalmente a serviço do país. “Espero ser convocado novamente para a base, e quem sabe para o adulto um dia”, completou.

Carreira - André começou a se envolver com o judô em 1983, quando estudava no Colégio São Miguel Arcanjo – instituição de ensino de Belo Horizonte. Chegou a ser atleta do Minas Tênis Clube e aos 20 anos passou a dar aulas da modalidade. Posteriormente, trabalhou no próprio Minas, atuando em funções administrativas, da área técnica, até a formação de base. Em 2013, chegou ao Centro de Treinamento Esportivo da Universidade Federal de Minas Gerais, em projeto de extensão desenvolvido na Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. De forma voluntária, coordena desde 2011 o núcleo do Esporte Sem Fronteiras em Belo Horizonte, projeto social que leva o judô a cerca de 100 crianças na Escola Municipal Professora Eleonora Pierucetti, no bairro Cachoeirinha.

Projeto beneficiará outro treinador - Ainda dentro do projeto de trazer novos profissionais para o convívio da comissão técnica das seleções de base, a Gestão das Equipes de Base convidou também o professor Robert Luis Marques Rodrigues, da Academia Espaço Marques Guinness e Federação Metropolitana de Judô, que conseguiu colocar três atletas entre os campeões da Seletiva Nacional das Equipes de Base. Ele irá acompanhar a delegação nos Estágios Internacionais em Portugal e na Alemanha.

www.cbj.com.br
CBJ

Mais...

Buscas

Todas as notícias