Judô

Remodelados, Brasileiros Regionais atraem judocas olímpicos em 2017

986.V

CBJ
Cinco atletas com participações em Jogos Olímpicos lutaram por seus estados na etapa regional, entre eles as medalhistas Sarah Menezes e Ketleyn Quadros

Cinco atletas com participações em Jogos Olímpicos lutaram por seus estados na etapa regional, entre eles as medalhistas Sarah Menezes e Ketleyn Quadros

Um dos objetivos da CBJ para este início de ciclo olímpico foi trazer de volta as principais estrelas do judô brasileiro para competir em eventos nacionais, já que o apertado calendário do Circuito Mundial da FIJ afastou os grandes atletas das competições nacionais. A saída encontrada pela Confederação foi valorizar os eventos nacionais através do Ranking Nacional Sênior e ajustar o calendário internacional ao brasileiro.

O resultado foi constatado nas disputas dos Campeonatos Brasileiros Regionais deste ano que contaram com a participação de cinco atletas com participações olímpicas: as medalhistas Sarah Menezes (ouro em Londres 2012) e Ketleyn Quadros (bronze em Pequim 2008), o campeão mundial Luciano Corrêa, além de Alex Pombo e Maria Portela, todos integrantes da seleção brasileira.

Dos cinco, a campeã olímpica é a que estava há mais tempo sem representar seu estado, o Piauí, numa competição nacional. A última vez que isso aconteceu foi em 2008, quando Sarah conquistou o bronze no Campeonato Brasileiro Final disputado em sua cidade natal, Teresina, ainda no peso Ligeiro (48kg). No último domingo, 23, ela foi o grande destaque do Brasileiro da Região I, em Marituba (PA), ao vencer sua primeira competição no novo peso (52kg).

"Eu quis lutar o Regional para reviver meu início de carreira. Foram lutas duras e emocionantes. Muito legal ver a vibração da torcida, reviver a volta no ônibus com o grupo. Fiquei muito feliz", contou a piauense que, ao final da disputa, pediu o microfone no ginásio e deixou uma mensagem aos jovens atletas que participaram do Regional.

Já Maria Portela, que está acostumada a lutar os Grand Prix Interclubes e o Troféu Brasil pela Sogipa, viu no Regional uma possibilidade de representar seu estado, o Rio Grande do Sul, em casa.

"O evento foi no meu estado, então foi uma oportunidade única de prestigiar, de poder estar presente num campeonato regional. Além disso, serviu para eu manter o ritmo de competições e ainda enfrentar minhas principais adversárias a nível nacional. Foi uma competição que estava forte para mim e foi bastante importante ter participado", explicou a gaúcha, que já representou o Brasil em dois Jogos Olímpicos (Rio 2016 e Londres 2012) e foi campeã no peso-médio feminino (70kg) no Brasileiro da Região V disputado em Caxias do Sul (RS).
Representantes de Minas Gerais no Brasileiro da Região III, Alex Pombo, que lutou os Jogos do Rio 2016, e Luciano Corrêa, que representou o Brasil em Londres e Pequim, viram no Regional uma possibilidade de somar pontos para o Ranking Nacional.

"Eu estou a procura de competir cada vez mais para corrigir os erros cometidos durante a competição. Usei o Brasileiro Regional como um treinamento para as etapas internacionais. E é um ponto importante que vale para o Ranking Nacional", ponderou Luciano, campeão no meio-pesado sênior na Região III, que aconteceu em Vitória (ES).

"A última vez que lutei o Brasileiro Regional foi em 2011", relembra Pombo. "Agora, com o Ranking e como o número de atletas participantes aumentou, dá para manter o ritmo de competição. É importante também mantermos essa competitividade dentro do país. Isso ajuda a todos", completou o peso-leve também campeão por Minas na Região III, assim como Ketleyn Quadros, que levou a melhor no meio-médio feminino (63kg).

A próxima etapa nacional que conta pontos para o Ranking Nacional Sênior é o Troféu Brasil Interclubes, em outubro. A expectativa é que o evento, assim como o Regional, atraia cada vez mais os melhores judocas do país elevando, assim, o nivel técnico do judô brasileiro.

cbj.com.br
CBJ

Mais...

Buscas

Todas as notícias