Tradutor/ Translate

Saiba mais sobre a Campanha Abril Laranja

Saiba mais sobre a Campanha Abril Laranja
Foto: Alê Cabral/CPB

Lançada em 2020 pela Associação Brasileira de Ortopedia Técnica (ABOTEC), a campanha “Abril Laranja” tem como objetivo conscientizar a população sobre a amputação, apresentar técnicas de reabilitação e reforçar que é possível ter uma boa qualidade de vida após a perda do membro.

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

+ Brasileiros se classificam no surfe para oitavas na etapa da Austrália

Judô Tênis

A programação do mês contará com conteúdo sobre o tema, lives com profissionais da área, ambos no perfil da associação, além do apoio e produção de conteúdo de quase 30 influenciadores digitais amputados em seus perfis pessoais. Dentre eles, estão as nadadoras Camille Rodrigues (classe S9, desarticulação de joelho) Tais Bobato (S10, amputação transtibial) e Fabiane Oliveira (S10, amputação transtibial) e a triatleta Adriele Silva (biamputada transtibial).

+ Roland Garros é adiado para 30 de maio devido à covid-19

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

No próximo dia 22 de abril (quinta-feira), a partir das 15h, haverá uma série de transmissões ao vivo no Instagram da Abotec com médicos, fisioterapeutas e outros profissionais da área para abordarem temas como “Qual a importância de uma boa prótese”, “Como é a recuperação após a amputação”, “Como descobrir qual a prótese ideal”.

+ Minas Tênis Clube e EMS Taubaté Funvic largam com vitória a semifinal do playoff

No esporte paralímpico, o atleta amputado é elegível para disputar todas as modalidades para pessoas com deficiência física que compõem o programa dos Jogos Paralímpicos de verão e de inverno.

+ O técnico Aleksandar Petrovic avisa: “Quero um Brasil que defenda até sangrar”

Para competir, todos os atletas com deficiência física passam pela classificação funcional para a identificação da classe esportiva a qual pertence. Cada modalidade possui regras específicas sobre a divisão de classes de acordo com o impacto funcional do membro amputado (inferior e/ou superior) e nível da amputação (acima ou abaixo de pé/tornozelo, joelho, punho e cotovelo, desarticulação de quadril e ombro, por exemplo). Além disso, há regras específicas por modalidade quanto ao uso de próteses.

Começa nesta quinta, o Masters Tournament, um dos quatro Majors do golfe

Grandes nomes do paradesporto nacional são amputados, como Petrúcio Ferreira (ouro nos 100m nos Jogos Rio 2016), Alan Fonteles (ouro nos 200m em Londres 2012), Claudiney Santos (ouro no lançamento de disco nos Jogos Rio 2016), a mesa-tenista Bruna Alexandre (bronze nos Jogos Rio 2016).

Polo Aquático da CBDA tem novo diretor, Alessandro Checchinato

As amputações podem ser decorrentes de traumas (acidentes), doenças (diabetes, tumores, problemas de circulação) ou ainda de uma síndrome congênita (má-formação).

+ A top 10 do mundo Luisa Stefani sonha com vaga na Olimpíada

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), a diabetes é a principal causa de amputações, principalmente de membro inferior, seguido de acidentes, de trânsito ou trabalhista.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro

Fonte: CPB (cpb.org.br)

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.