Judô

Brasil leva o ouro da Copa do Mundo de Judô Paralímpico com Alana Maldonado

139.V

CBDV

Alana Maldonado confirmou a boa fase na carreira e conquistou o ouro da categoria -70 kg na Copa do Mundo IBSA de Judô Paralímpico, na manhã desta segunda-feira, 9, em Tashkent, capital do Uzbequistão. O Brasil faturou ainda outras duas medalhas na competição, com Lúcia Araújo, prata na divisão -63kg, e o bronze de Wilians Araújo na disputa acima de 100kg.

A medalhista dos Jogos Rio 2016 chegou ao alto do pódio ao vencer todas as três lutas na competição, contra Gulruh Rahminova e Vasila Aliboeva, do Uzbequistão, e Gaeun Lee, da Coreia do Sul. Foi a primeira que a Alana encarou as adversárias, o que para a atleta trouxe uma dificuldade maior por não conhecer o estilo de luta das rivais.

“Estou muito feliz com a medalha. Tive três adversárias novas na categoria, então foram lutas que exigiram muita atenção e cautela, mas graças a Deus deu tudo certo. Ainda tenho muito a melhorar, e os treinamentos não param. Na semana que vem já temos a disputa do Grand Prix Infraero de Judô Para Cegos, em Porto Alegre”, comemorou a campeã.

O Brasil subiu ao pódio outras duas vezes na competição. Pela categoria -63kg, Lucia Araújo fez a final contra a sul-coreana Songlee Jin, mas foi derrotada e ficou com a prata. Já na divisão acima de 100kg, Wilians Araújo não deu chances para o turco Onur Tastan, venceu por imobilização e garantiu o bronze.

Mais cinco atletas chegaram perto da medalha, mas acabaram sendo derrotados na disputa do bronze. Harlley Arruda (-81kg), Arthur Silva (-90kg), Antônio Tenório (-110kg), Maria Lins (57kg) e Rebeca Silva (+70kg). A lista de brasileiros que entraram no tatame conta ainda com Denis Rosa, Gabriel Silva, Giulia Pereira, Luan Pimentel e Thiego Silva.

A delegação brasileira contou com a participação de 13 atletas, dos seguintes estados: Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e São Paulo. Os paulistas foram maioria com sete representantes, seguido dos cariocas com três.

Patrocínio e apoio ao esporte

O Judô Paralímpico brasileiro conta com o patrocínio da Infraero desde 2009, fundamental na execução das fases de treinamento, realização das duas etapas do Grand Prix, intercâmbios dos atletas da seleção, contratação de profissionais para a equipe multidisciplinar, além de atender outros projetos importantes para o crescimento da modalidade no país.

www.cbdv.org.br
Tadeu Casqueira

Mais...

Buscas

Todas as notícias