Mountain bike

Brasil domina elite do Pan-Americano de Mountain Bike na Colômbia

82.V

Maximiliano Blanco/CBC
Raiza Goulão e Luiz Henrique Cocuzzi pedalam forte, superam adversários e fazem história no Campeonato Pan-Americano

Raiza Goulão e Luiz Henrique Cocuzzi pedalam forte, superam adversários e fazem história no Campeonato Pan-Americano

A seleção brasileira encerrou sua participação no Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike com um histórico resultado na principal categoria da competição. Foram duas medalhas de ouro conquistadas neste domingo (08/04) com os atletas Luiz Henrique Cocuzzi e Raiza Goulão.

“Os atletas brasileiros representaram muito bem o nosso país. Estamos vivendo o crescimento de uma geração muito forte e promissora, desde as categorias de base até a elite. São atletas talentosos que ainda terão um grande futuro pela frente com muitos resultados positivos para o Brasil”, comentou Carlos Polazzo, técnico da seleção.

As provas da categoria elite começaram no início da tarde. As mulheres foram as primeiras a entrarem na pista. O percurso desafiador montado pelos organizadores não desanimou as competidoras, que proporcionaram momentos de muita emoção e disputas acirradas durante as cinco voltas estipuladas.

Após ser prata em 2016 e terminar na 5ª posição em 2017, Raiza Goulão largou com sede de vitória. A brasileira, número 12 no ranking mundial, não deu espaço para as adversárias e dominou a corrida de ponta a ponta, cruzando a linha de chegada com 1h26min50.

Essa foi a primeira medalha pan-americana de ouro da categoria elite na carreira da brasileira. O resultado inédito foi comemorado com muita emoção e recebido por centenas de pessoas que aplaudiram a campeã na linha de chegada.

“Foi uma prova incrível. Eu acho que essa foi a primeira competição que consegui aplicar 100% da estratégia que havia definido. Estava muito concentrada e apesar do forte ritmo, conseguia me poupar a cada volta, as sensações eram ótimas. Depois de uma sequência de copa do mundo e Cape Epic, conquistar o primeiro título Pan-Americano na Elite me motiva cada vez mais a seguir forte e focada na classificação do Brasil para Tóquio 2020. Agradeço muito ao meu treinador Vitor Rodrigues pelo trabalho que realizamos nos últimos meses, a confederação e o COB pela oportunidade, além de todas as pessoas que ficaram na torcida”, declarou Raiza.

A medalha de prata ficou com a americana Chloe Woodruff, cravando 1h27s14, seguida pela mexicana Daniela Campuzano, que fechou a prova em 1h28min04 e garantiu o bronze. A brasileira Leticia Candido completou a prova na 20ª colocação.

Supremacia brasileira na Elite

Finalizando a programação do campeonato, os homens da categoria Elite alinharam para a última largada. A prova começou bastante indefinida, com vários atletas buscando a liderança. No final da primeira volta de um total de seis, o argentino Catriel Soto passou na primeira colocação. A liderança seguiu indefinida até a quarta volta, quando o brasileiro Luiz Henrique Cocuzzi assumiu a ponta e seguiu imprimindo um ritmo alucinante.

Demonstrando uma incrível regularidade, Cocuzzi baixava o melhor tempo de volta por cada passagem pela cronometragem. Aos poucos a vitória foi consolidada com personalidade pelo atual campeão brasileiro de MTB XCO. O brasileiro completou as seis voltas em 1h24min50 e garantiu a medalha de ouro inédita na sua carreira. O costarriquenho Carlos Herrera marcou 1h25min35 e levou a prata, enquanto o argentino Catriel Soto, ficou com o bronze fazendo 1h26min50.

“A competição foi muito intensa do início ao fim. O circuito duro dificultou ainda mais a briga por medalhas. No início o Catriel colocou um ritmo muito forte, então eu decidi não me expor demais e manter uma margem segura na segunda colocação. A partir da segunda volta eu comecei uma prova de recuperação para tirar a diferença de tempo, e na quarta volta consegui assumir a liderança, seguindo em primeiro até o final e superando o bronze conquistado em 2017”, destacou Cocuzzi.

“Cruzar a linha de chegada de um Pan em primeiro, ainda mais na Elite, é uma sensação de felicidade incrível. Eu já havia conseguido medalha na categoria Sub23, mas esse é o meu primeiro título pan-americano no XCO. Compartilho esse título com toda minha família, amigos, torcedores, e agradeço a oportunidade de estar representando a seleção”, completou o campeão.

A equipe brasileira ainda contou com quatro atletas entre os 15 primeiros colocados do campeonato. Guilherme Muller conquistou a 4ª colocação, Henrique Avancini ficou em 7º lugar, Rubens Donizete em 9º lugar e Gabriel Marques em 15º lugar. Os resultados completos podem ser acessados no site http://lasttiming.com

Para Henrique Avancini, atual 6º colocado no ranking mundial, o resultado alcançado no Pan não foi o esperado, mas destacou a importância do feito inédito alcançado pelos seus colegas de seleção.

“Obviamente não foi o resultado que eu esperada. Mas esse ano decidi arriscar uma nova estratégia, encaixando um bloco forte de treino entre o Cape Epic e o Pan-Americano, estava me sentindo bem, mas o circuito era mais duro do que eu esperada, bastante lento, então acabei sentindo um pouco, mas para o Brasil foi uma ótima edição, com um feito inédito vencendo a elite no masculino e feminino e agora e tentar recuperar um pouco para os próximos desafios da temporada”, declarou Avancini.

www.cob.org.br
Comitê Olímpico do Brasil

Mais...

Buscas

Todas as notícias