Judô

Lucia Araújo retorna à cidade da primeira medalha para a disputa da Copa do Mundo

271.V

Bruno Miani/CBDV/Inovafoto
Lúcia Araújo durante o Grand Prix Internacional Infraero de Judô Paralímpico

Lúcia Araújo durante o Grand Prix Internacional Infraero de Judô Paralímpico

Na madrugada da próxima quinta-feira, 19, a Seleção Brasileira de judô paralímpico embarca para a Turquia para a disputa da Copa do Mundo na cidade de Antalya, nos dias 22 e 23 e para a realização de treinos com atletas de outros países. A delegação do Brasil seguirá para o desafio com seis judocas e os dois treinadores.

A competição vale pontos para o ranking que garante vaga nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 e serve como preparação para o principal evento do ano, o Campeonato Mundial que será realizado na cidade de Lisboa, em Portugal, no mês de novembro.

Uma das convocadas para a Copa do Mundo é Lucia Araújo, que neste ciclo subiu de categoria e agora está no meio-médio (até 63kg). A judoca vem de um retrospecto de causar inveja a muitos atletas e em seu cartel constam medalhas em todas as competições disputadas desde 2010. De lá pra cá foram 18 pódios.

“Fruto de muito treino. Buscando sempre corrigir o que precisa e com o pensamento de sempre melhorar. Você sai de uma competição com uma medalha, mas tem que ter a consciência de que a medalha veio, mas sempre tem espaço para melhorar. Procurar sempre estudar os adversários. Mas o principal é não se acomodar, cada dia buscar sempre fazer o seu melhor”, exaltou Lúcia.

Antalya traz boas lembranças para a judoca. Foi na cidade turca que Lucia Araújo conquistou a sua primeira medalha internacional. A vice-campeã dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e Londres 2012 espera um novo sucesso oito anos depois e afirma que vai em busca da medalha de ouro.

“Diferentemente do ano passado, que estava iniciando no novo peso, e conseguir subir no pódio (prata na Copa do Mundo do Uzbequistão), vou para ser campeã. O meu objetivo é estar no ponto mais alto do pódio. Sinto que estou capacitada para isso e espero encontrar a campeã e vice paralímpica. As minhas expectativas são as melhores, a minha primeira medalha internacional foi na Turquia, em Antalya, e espero repetir este feito”, disse a judoca.

Lucia Araújo terá a companhia de Alana Maldonado (-70kg), Antônio Tenório (-100kg), Rebeca Silva (+100kg), Thiego Marques (-60kg) e Wilians Araújo (+100kg), além dos técnicos Alexandre Garcia e Jaime Bragança. As disputas pelas medalhas serão nos dias 22 e 23, e nos dias 24 e 25 os judocas treinam com representantes de outros países.

Confira a programação completa: https://bit.ly/2q5wJrw

Patrocínio e apoio ao esporte

Com o patrocínio da Infraero desde 2009, o judô paralímpico brasileiro conta com recursos oriundos desta parceria, fundamentais na execução das fases de treinamento, realização das duas etapas do Grand Prix, intercâmbios dos atletas da seleção, contratação de profissionais para a equipe multidisciplinar, além de atender outros projetos importantes para o crescimento da modalidade no país.

www.cbdv.org.br
Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais

Mais...

Buscas

Todas as notícias