Jogos Pan-americanos

Lais Nunes conquista prata no Pan e garante vaga nos Jogos Pan-americanos 2019

69.V

.
Com o triunfo de Lais, a equipe nacional chega ao número de cinco medalhas na competição

Com o triunfo de Lais, a equipe nacional chega ao número de cinco medalhas na competição

Lais Nunes foi o destaque do segundo dia de competições do Pan-americano de wrestling 2018, em Lima, Peru. A brasileira conquistou a medalha de prata e de quebra garantiu o Brasil na categoria até 62kg do wrestling feminino nos Jogos Pan-americanos de Lima 2019. Com o triunfo de Lais, a equipe nacional chega ao número de cinco medalhas nesta edição. No estilo greco-romano, os brasileiros levaram três bronzes com Joílson Junior, Marat Garipov e Angelo Moreira. Além de uma medalha de ouro com Sargis Khachatryan até 55kg. Neste domingo, quatro atletas do estilo livre encerram a participação nacional no Pan. João Victor Silva até 65kg, Marcos Oliveira Júnior 70kg, Thales Reis 74kg e Cassio Oliveira até 97kg.

Lais Nunes até 62kg

Lais teve uma estreia segura e venceu ainda no primeiro round a equatoriana Karla Gonzalez por superioridade técnica (10 a 0). Já na semifinal, a goiana teve pela frente a duas vezes medalhista olímpica (2008 e 2012) Jacqueline Rentería, da Colômbia. Com muito volume de luta as atletas protagonizaram uma das melhores lutas do torneio. Lais não deixou a colombiana respirar, abriu vantagem e conseguiu bloquear as investidas de Rentería. A colombiana valorizou a vitória da brasileira, mas Lais fechou o placar por 11 a 6, garantiu vaga na final e nos Jogos Pan-americanos de Lima 2019. Mas ainda restava a última luta contra a cubana Jakelin Estornell, medalha de prata nos Jogos Pan-americanos de Toronto 2015. As atletas fizeram uma luta truncada que seguia 2 a 2 com vantagem no desempate para a Lais. A brasileira conseguiu fazer 4 a 2 ao passar para as costas da cubana, restando menos de dois minutos para o combate. Mas Jakelin conseguiu tirar Lais da área de lutas e o árbitro acabou penalizando a goiana em um ponto. Com o placar igual e ainda com a vantagem de Lais, Yakelin conseguiu tirar a brasileira da área delimitada no tapete, fazer 5 a 4 e ficar com medalha de ouro.

Kamila Barbosa até 50kg

A goiana Kamila não conseguiu superar a colombiana Carolina Hidalgo em sua luta de estreia, que a venceu por superioridade técnica 14 a 3. Como Carolina avançou até a final, Kamila conseguiu ser repescada. No entanto, a equatoriana Jacquline Eleno encostou a brasileira e a encerrou a busca nacional por medalhas nesta divisão de peso.

Garcyenne Helena até 53kg

A niteroiense Gracyenne estreou com vitória sobre a peruana Ana Cespedes Lugo. A lutadora brasileira conseguiu minar as investidas da rival local e fez 6 a 2. Na segunda luta, válida pelas quartas de finais, a brasileira foi batida por superioridade técnica pela norte-americana Sarah Hildebrant. A brasileira também foi repescada, mas não conseguiu conter o ímpeto da canadense Kristina Mclarenm foi superada por 10 a 0 e acabou de fora da luta por medalhas.

Giullia Penalber até 57kg

A carioca saiu em desvantagem contra a venezuelana Betzabeth Colmenarez de 5 a 0. Mas Giullia reagiu e depois de duas quedas de quatro pontos conseguiu virar para 8 a 7 e avançar para as quartas de finais. Em seguida, a chave apontou para a mexicana, Alejandra Romero, campeã do torneio Cerro Pelado 2018. A mexicana surpreendeu Giullia e conseguiu encostá-la. Como Alejandra seguiu para final, Giullia voltou na repescagem, no entanto acabou superada (10 a 0) pela dominicana Yessica Perez e ficou de fora da luta por medalhas.

Dailane Reis até 68kg

A brasileira natural de Maricá caiu na estreia contra a equatoriana Leonela Parraga por superioridade técnica (10 a 0). Como Parraga não conseguiu avançar, Dailane não pôde voltar para a repescagem.

Aline Silva até 76kg

Depois de uma defesa ainda no primeiro round, Aline sentiu fortes dores no joelho direito ainda, recebeu atendimento médico no tapete e voltou com uma proteção no local lesionado. A brasileira voltou para o segundo round mancando, passou por cima das fortes dores e conseguiu encostar a peruana Krysia Ortega. Mesmo sem estar 100% fisicamente decidiu enfrentar a velha conhecida Adeline Gray nas seminfinais. Com os movimentos limitados pela dor, Aline foi encostada por Gray. Sem conseguir constatar o problema exato de Aline e para não agravar a lesão, o médico do Brasil José Padilha e a comissão técnica decidiram preservar a brasileira e não deixá-la disputar a medalha de bronze. Exames detalhados serão feitos no Brasil para saber exatamente a gravidade da lesão.

Fábio Rodriguês estilo livre até 92kg

A categoria de Fabio foi disputada no sistema todos contra todos. Em sua primeira luta, Fábio acabou superado pelo mexicano Esdras Perez por touche. Na segunda luta, o paraibano calou o ginásio com uma vitória sobre o peruano Kensil Hernane em um combate muito equilibrado que terminou em 15 a 12 para o brasileiro. Na sequência, Fabio encarou o norte-americano Benjamim Provisor e foi batido por superioridade técnica (11 a 0). Em sua última luta do torneio, Fabio, apenas 19 anos, lutou contra o canadense Dalton Webb. O brasileiro se esforçou, mas acabou vencido por 12 a 2 e terminou o torneio em quarto lugar.

www.cob.org.br
Comitê Olímpico do Brasil

Mais...

Buscas

Todas as notícias