Surf

Cinco perguntas: Tatiana Weston-Webb

72.V

Arquivo Pessoal/Facebook - Trent Callaghan

Nascida em Porto Alegre, criada do Havaí, e integrante da equipe brasileira de surfe, Tatiana Weston-Webb é um dos principais nomes do esporte na atualidade. Aos 21 anos, ocupa a 4ª posição no ranking da primeira divisão da WSL, o circuito mundial de surfe profissional (WCT), tendo sido vice-campeã da etapa de Bells Beach, na Austrália, em março. Tatiana é filha da ex-bodyboarder gaúcha Tanira Guimarães e do surfista inglês radicado no Havaí, Doug Weston-Webb. Confira abaixo as Cinco Perguntas que fizemos a ela:

COB: Por que você escolheu o Brasil para tentar a vaga olímpica, se já havia competido pelo Havaí?

TATIANA: Não foi difícil a decisão de mudar de país, porque todo mundo estava me apoiando e todo mundo dizia que o que quero é o mais importante. Era uma decisão grande, foi difícil para mim e para os havaianos, pois eles têm muito orgulho e os brasileiros também. Então essa foi a única coisa que fiquei com alguma dúvida. Parei e falei: essa decisão não vai ser feita pelas pessoas, essa decisão vai ser por mim. Minha relação com o Brasil começou a ficar ainda mais forte quando comecei a ficar com saudade de voltar. Das pessoas, do lugar, eu amo Porto Alegre, eu amo o Sul, amo Garopaba. E era uma coisa que eu não percebia até ficar mais velha. Agora eu sei exatamente como meu coração está se sentindo quando vou lá. É uma coisa muito especial. Quando a pessoa tem esse sentimento dentro do coração, não pode ignorar.

COB: Como é o seu relacionamento com a Silvana Lima e a Thainá Hinckel?

TATIANA: Meu relacionamento com a Thainá e a Silvana está muito bom. Eu e a Silvana estamos muito amigas e eu a respeito muito e acho que ela me respeita muito também. Quando passamos na bateria juntos ela disse: boa Time! Foi uma coisa muito legal para mim, eu fiquei muito feliz. Eu não estou tão próxima da Thainá, mas eu tenho muita fé nela e ela é muito boa. Eu fiquei até às 03h da manhã no Brasil assistindo ela no campeonato pró Jr, eu fiquei torcendo por ela, eu gosto do Surf dela. Espero me aproximar mais das meninas do Brasil.

COB: O que mais você gosta do Brasil?

TATIANA: Eu amo a energia do Brasil. Quando eu chego no Brasil eu amo a energia que recebo de todo mundo. É um país que todo mundo tem uma paixão e eles vivem muito pela vida, isso que eu senti muito. E também amo as comidas, né? Coxinha, pastel, brigadeiro.

COB: Você acha que é possível conquistar medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020?

TATIANA: Quando eu era criança, sempre assisti as olimpíadas. Amava assistir Futebol, Snowboard, Skate. Era um sonho meu competir nas olimpíadas e muito difícil porque achei que o surfe nunca iria entrar, agora o meu sonho virou realidade isso é uma coisa muito boa/maneira e vou fazer tudo que puder para ganhar uma medalha.

COB: Quem são seus principais ídolos no surfe?

TATIANA: Eu tenho duas ídolos no Surf. Uma é a Bethany Hamilton eu acho ela demais. Ela é uma pessoa muito legal e como ela viveu, eu quero viver assim também. Ela é muito feliz, ela coloca muita fé em Jesus e eu estou nesse caminho também. E o outro é Andy Irons, ele é uma pessoa que foi ídolo no Havai, eu cresci assistindo os vídeos dele. Ele era o nosso herói daqui.

www.cob.org.br
Comitê Olímpico do Brasil

Mais...

Buscas

Todas as notícias