Judô

Instituto Reação é campeão do inédito Grand Prix Nacional Misto

89.V

.
Equipe do Instituto Reação no topo do pódio do Grand Peix - Agremiação carioca vence a final contra o Pinheiros, no ginásio da Unilassalle, em Canoas

Equipe do Instituto Reação no topo do pódio do Grand Peix - Agremiação carioca vence a final contra o Pinheiros, no ginásio da Unilassalle, em Canoas

O Instituto Reação (RJ) conquistou, neste domingo (19), o título de campeão do Grand Prix Nacional de Judô que, em 2018, pela primeira vez, foi disputado em formato misto, como será nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Na grande final, no ginásio da Unilassalle, em Canoas (RS), a agremiação carioca levou a melhor no duelo contra o Esporte Clube Pinheiros (SP): foram três vitórias para cada equipe, mas o Reação levou a melhor ganhando mais lutas por ippon.

As medalhas de bronze ficaram com o Minas Tênis Clube (MG) e a Sogipa (RS). A equipe mineira derrotou o Paineiras do Morumbi (SP) num confronto equilibrado e decidido na última luta, com vitória de Juscelino Júnior sobre Rafael Buzacarini. Já o clube gaúcho venceu o Jequiá (RJ) por 4 a 0.

As finais do Grand Prix tiveram transmissão ao vivo pela TV nos canais ESPN e SporTV 3. E os duelos no tatame estiveram à altura do bom público que encheu a arquibancada do ginásio da Unilassalle.

Na grande decisão, a campanha do Reação começou com triunfo de Tamires Crude num combate equilibradíssimo com Eludis Valentim, decidido apenas no golden score, com as duas judocas no limite das forças. Marcos Eduardo Seixas abriu 2 a 0 ao superar Marcelo Contini. Em seguida, a campeã olímpica Rafaela Silva entrou no tatame para enfrentar Bárbara Timo, que levou a melhor com um wazari. Mas quando Victor Penalber derrotou Eduardo Santos, a equipe do Reação comemorou o título, já que tinha sido a terceira vitoria por ippon. O Pinheiros não esmoreceu e venceu as duas últimas lutas, com Maria Suelen Altheman sobre Camila Yamakawa e Rafael Silva sobre David Moura, no duelo entre dois dos melhores judocas do mundo na categoria pesado.

“A gente pensou um pouco na estratégia. Eu já lutei com a Barbara no Rio, quando ela era do 63kg. A gente tentou anular um ponto que poderia ser positivo para o Pinheiros. E acabou dando certo, porque foi o ponto que deu a vitória para o Instituto Reação", explicou Rafaela Silva, após ajudar sua agremiação mesmo perdendo por wazari, uma vez que impediu que o Pinheiros atingisse a pontuação máxima de três vitórias por ippon.

“É muito gostoso. O sonho do Instituto Reação é mais do que ser campeão. A gente entra no tatame representando 1.500 crianças e o sonho delas de mudar de vida”, afirmou Victor Penalber.

Veja abaixo os resultados de todos os confrontos:

QUARTAS DE FINAL

Jequiá 0 x 4 Reação

Pinheiros 4 x 0 Paineiras

Sogipa 4 x 0 Judô Futuro

SEMIFINAL

Minas Tênis Clube 2 x 4 Reação

Pinheiros 3 (30) x 3 (21) Sogipa

REPESCAGEM

Judô Futuro 1 x 4 Paineiras

BRONZES

Paineiras 3 (13) x 3 (30) Minas

Jequiá 0 x 4 Sogipa

FINAL

Reação 3 (30) x 3 (21) Pinheiros

www.cbj.com.br
Confederação Brasileira de Judô

Mais...

Buscas

Todas as notícias