Rugby

Rugby em cadeira de rodas: a modalidade mais bruta do paradesporto

123.V

Alexandre Urch/MPIX/CPB

O rugby em cadeira de rodas nasceu na década de 1970, no Canadá, e estreou oficialmente como esporte paralímpico nos Jogos de Sydney 2000. O primeiro campeão paralímpico da modalidade foram os Estados Unidos. A primeira participação do Brasil em Paralimpíada foi no Rio 2016. Na ocasião, a Seleção Brasileira terminou a competição em oitavo lugar e a Austrália sagrou-se campeã. Assim como o rugby convencional, na versão paralímpica da modalidade os atletas também têm bastante contato físico uns com os outros e para diminuir o impacto no choque entre os jogadores, as cadeiras são reforçadas e contam com proteções.

Podem jogar rugby em CR tanto homens quanto mulheres com tetraplegia ou que tenham, no mínimo, três membros comprometidos. No Brasil, a modalidade é administrada pela Associação Brasileira de Rugby em Cadeira de Rodas (ABRC).

A classificação funcional possui sete classes – 0.5, 1.0, 1.5, 2.0, 2,5, 3.0 e 3.5 - quanto maior a deficiência, menor a pontuação. Os atletas com classificações mais baixas jogam na defesa e os que possuem classificações mais altas formam o ataque. A somatória das classes em quadra não pode ultrapassar oito pontos. A equipe que tiver mulher em quadra, mais 0.5 pode ser acrescentado ao limite de pontos da equipe (Ex: uma equipe que entra em quadra com duas mulheres pode somar nove pontos).

A partida tem quatro períodos de oito minutos e o objetivo é passar da linha do gol com as duas rodas da cadeira e a bola nas mãos. A quadra tem 15m de largura por 28m de comprimento.

Nesta terça-feira, 28, começa a Copa Caixa Rugby em Cadeira de Rodas, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. A competição reúne nove equipes: cinco na primeira divisão e quatro na segunda. As disputas seguem até esta sexta-feira, 31. O evento é aberto ao público e a Associação Brasileira de Rugby em Cadeira de rodas (ABRC) fará transmissão dos jogos em sua página do Facebook e a grande final da 1ª Divisão será transmitida ao vivo pelo SporTV 2, na sexta-feira, 31, às 17h.

O Brasil já está classificado para os Jogos Parapan-Americano de Lima 2019 e lá buscará vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

www.cpb.org.br
Comitê Paralímpico Brasileiro

Mais...

Buscas

Todas as notícias