Judô

Do Sub-18 aos Veteranos, judô brasileiro conquista 70 medalhas em competições de vários níveis durante o mês de outubro

79.V

.
País subiu ao pódio em Mundiais de Kata, Veteranos e Júnior, além dos Jogos Olímpicos da Juventude e com a seleção principal no Grand Prix de Cancún

País subiu ao pódio em Mundiais de Kata, Veteranos e Júnior, além dos Jogos Olímpicos da Juventude e com a seleção principal no Grand Prix de Cancún

O mês de outubro ofereceu aos praticantes e fãs de judô um cardápio recheado de eventos internacionais com competições de diversos níveis. E os judocas brasileiros fizeram bonito. Do Sub-18 aos Veteranos, o Brasil foi ao pódio 70 vezes neste mês, conquistando medalhas nos Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires 2018, nos Mundiais de Kata, Veteranos e Júniores, além da seleção principal no Grand Prix de Cancún.

"São resultados que nos orgulham muito e que evidenciam como somos preparados para vencer em todos os segmentos. Daqueles que não estão diretamente sob o guarda-chuva de investimentos da CBJ, como os Veteranos e o Kata, mas que têm o nosso reconhecimento, até aqueles que são o foco principal da Confederação, do Ministério do Esporte e do Comitê Olímpico do Brasil, que são as categorias de base e o alto rendimento", ressalta o presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges.

O mês começou com os judocas da classe Sub-18 representando o Brasil nos Jogos Olímpicos da Juventude de Buenos Aires no período de 07 a 10 de outubro. Eduarda Rosa (78kg) garantiu um bronze no evento e manteve a tradição do judô brasileiro que, com isso, subiu ao pódio em todas as três edições dos Jogos da Juventude.

João Vítor Santos (66kg) ainda voltou para casa com a medalha de bronze na disputa por equipes mistas multinações.

Em seguida, nos dias 12, 13 e 14, a seleção principal faturou nada menos do que 11 medalhas no Grand Prix de Cancún, com destaque para o ouro da campeã olímpica Rafaela Silva no peso leve feminino (57kg) após derrotar a canadense Jessica Klimkait por ippon.

O país ainda teve três pratas com Victor Penalber (81kg), Mayra Aguiar (78kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg), além de sete bronzes, com Charles Chibana (66kg), Marcelo Contini (73kg), Rafael Macedo (90kg), Rafael Buzacarini (100kg), Alexia Castilhos (63kg), Samanta Soares (78kg) e Beatriz Souza (+78kg).

Cancún ainda sediou nos dias seguintes ao Grand Prix os Mundiais de Kata e de Veteranos, onde o judô brasileiro brilhou mais algumas vezes. 52 para sermos exatos.

No Kata, que aconteceu nos dias 15 e 16, a dupla formada por Wagner Uchida e Paulo Ferreira conquistou um ouro inédito para o Brasil e para a Pan-América no Nage no Kata e outras quatro duplas brasileiras foram finalistas. Foi o melhor resultado da história do Kata brasileiro em Mundiais organizados pela Federação Internacional.

Na competição de Veteranos, dedicada a judocas com mais de 30 anos, o Brasil foi a segunda maior delegação do torneio, com 131 inscritos.

Após os quatro dias de disputas, de 17 a 20 de outubro, conquistamos o expressivo número de 51 medalhas, feito que colocou o país em primeiro lugar geral à frente da França, Alemanha e Japão, que teve apenas 17 participantes.

No mesmo período, a seleção júnior (Sub-21) se apresentou nos tatames de Nassau, nas Bahamas, e faturou cinco medalhas no Campeoanto Mundial Sub-21, além de ter 10 judocas no bloco final (entre os sete melhores) de disputas. As medalhas vieram com Amanda Arraes (44kg/Bronze), Renan Torres (60kg/Bronze), Michael Marcelino (66kg/Prata), Beatriz Souza (+78kg/prata) e com a Equipe (Prata), que conquistou um pódio inédito nesta classe para o Brasil.

Próximas competições internacionais:

09 a 11/11 - Campeonato Mundial Militar / Rio de Janeiro/Brasil
16 a 18/11 - Grand Prix de Haia/Holanda
16 a 18/11 - Campeonatos Pan-Americano e Sul-Americano Sub-13 e Sub-15 / Guaiaquil/Equador
23 a 25/11 - Grand Slam de Osaka/Japão

http://www.cbj.com.br
Confederação Brasileira de Judô

Mais...

Buscas

Todas as notícias