Judô

Brasil garante mais dois bronzes neste domingo e fecha Grand Prix de Haia com três medalhas

101.V

.
Últimos pódios vieram no meio-pesado com Samanta Soares (78kg) e Leonardo Gonçalves (100kg)

Últimos pódios vieram no meio-pesado com Samanta Soares (78kg) e Leonardo Gonçalves (100kg)

A seleção brasileira de judô encerrou sua participação no Grand Prix de Haia neste domingo, 18, com mais dois judocas no pódio. Samanta Soares (78kg) e Leonardo Gonçalves (100kg) conquistaram medalhas de bronze e o país fechou o evento com três medalhas, já que Eleudis Valentim (52kg) foi vice-campeã na sexta-feira.

Única representante do judô feminino neste último dia de disputas na Holanda, Samanta venceu sua chave nas preliminares ao derrotar a israelense Omri Kenyon e a holandesa Karen Stevenson. Na semifinal, porém, a brasileira foi superada pela francesa Sama Hawa Camara e foi, então, para a disputa de bronze.

Em sua última luta na competição, Samanta encarou a chinesa Zhenzhao Ma em duelo equilibrado definido nas punições no golden score. Cada atleta foi punida duas vezes, mas a brasileira conseguiu ser mais agressiva para forçar a terceira punição à Ma e conquistar seu lugar no pódio.

"A competição foi boa. Foi minha última competição no ano e acho que eu tive um desempenho legal. Mesmo perdendo na semifinal tive que ter uma resiliência muito rápida para poder buscar esse terceiro lugar, lutando bem, na raça, no coração. Foi duro, foi longo, mas graças a Deus deu tudo certo", avaliou Samanta que, há uma semana foi campeã mundial militar no Rio.

A outra medalha brasileira veio também do meio-pesado, mas na disputa masculina em decisão 100% brasileira. Rafael Buzacarini e Leonardo Gonçalves se enfrentaram pelo bronze e Gonçalves foi quem levou a melhor projetando seu compatriota por waza-ari para conquistar o bronze.

Para chegar à luta pela medalha, Leo venceu o russo Niiaz Bilalov, na estreia, e passou pelo americano L.A. Smith III. Nas quartas, o brasileiro enfrentaria o atual vice-campeão olímpico e mundial, Varlam Liparteliani, mas não houve luta, uma vez que o adversário não se apresentou para o combate. Com isso, Leo foi direto à semifinal, onde caiu para o bielorusso Mikita Sviryd, por um waza-ari. Na disputa pelo bronze, Leo derrotou seu companheiro de equipe, Rafael Buzacarini, por um waza-ari para ficar com a medalha.

"Lutar contra um companheiro de equipe foi um pouco difícil, porque ele me conhece. Mas, tem o lado bom que eu conhecia ele também. A gente já competiu bastante no Brasil, já treinamos juntos . E os pontos que consegui neste Grand Prix, com certeza, vão contar muito para a vaga olímpica. Cada ponto, nem que seja um pouquinho a mais, como foi hoje, está valendo muito para essa vaga olímpica", explicou Leonardo.

Buzacarini, por outro lado, teve caminho mais longo rumo à disputa pelo bronze. Ele venceu Jakub Wojcik, da Polônia, na primeira luta, e passou pelo francês Cirylle Maret, nas oitavas. Mas, caiu nas quartas-de-final diante do holandês Michael Korrel, atual número dois do mundo. Recuperou-se na repescagem, vencendo o russo Kazbek Zankishiev, por ippon, e foi para a disputa pelo bronze, parando em seu companheiro de equipe e terminando a competição em quinto lugar.

O Brasil ainda teve dois representantes no peso Médio masculino neste sábado. Eduardo Bettoni estreou com vitória sobre Dario Garcia, da Alemanha, e perdeu na segunda luta, para o tcheco David Klammert. Rafael Macedo caiu na primeira luta para Peter Zilka, também da República Tcheca.

A seleção retornará aos tatames do Circuito Mundial da FIJ no Grand Slam de Osaka, no Japão, uma das etapas mais duras e tradicionais do mundo. As disputas acontecerão já no próximo final de semana, no período de 23 a 25 de novembro.

www.cbj.com.br
Confederação Brasileira de Judô

Mais...

Buscas

Todas as notícias