Vamos Comemorar

Hoje é dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres e...

555.V

Calendarr

Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres

O Dia Internacional para a não-Violência Contra as Mulheres é comemorado anualmente em 25 de novembro.

A data tem o objetivo de alertar a sociedade sobre os casos de violência e maus tratos contra as mulheres. A violência física, psicológica e o assédio sexual são alguns exemplos desses maus tratos.

De acordo com as estatísticas, uma em cada três mulheres sofre de violência doméstica. A violência contra a mulher é uma questão social e de saúde pública, não distingue cor, classe econômica ou social, e está presente em todo o mundo.

Origem da Data
A Organização das Nações Unidas (ONU), desde 1999, reconhece o dia 25 de novembro como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

A data surgiu em decorrência do Dia Latino-americano de Não Violência Contra a Mulher, que foi criada durante o Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e Caribenho de 1981, realizado em Bogotá, Colômbia.

O 25 de novembro foi escolhido em homenagem às irmãs Pátria, Maria Tereza e Minerva Maribal, que foram violentamente torturadas e assassinadas nesta mesma data, em 1960, a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo.

As irmãs dominicanas eram conhecidas por "Las Mariposas" e lutavam por melhores condições de vida na República Dominicana.

Dia do Doador Voluntário de Sangue

O Dia do Doador Voluntário de Sangue é comemorado anualmente em 25 de novembro no Brasil.

A data, além de homenagear as pessoas que reservam um tempinho do seu dia para doar sangue, também serve para informar e conscientizar a população sobre a importância de ser um doador de sangue.

Doar sangue é um ato de solidariedade humana, que ajuda a salvar milhares de vidas todos os dias, através das transfusões de sangue. Atualmente no Brasil, são doadas cerca de 3,6 milhões de bolsas de sangue por ano, segundo dados do Pró-Sangue.

No Dia Nacional do Doador de Sangue, os Bancos de Sangue de todo o país realizam atividades lúdicas e mutirões de coleta em escolas, hospitais, shoppings, praças e demais espaços de acesso público.

Origem do Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue
O Dia do Doador Voluntário de Sangue foi estabelecido através do Decreto de Lei nº 53.988, de 30 de junho de 1964, assinado pelo presidente Castello Branco, definindo o dia 25 de novembro - data do aniversário da fundação da Associação Brasileira de Doadores Voluntários de Sangue - como a data oficial do doador de sangue no Brasil.

Os doadores também podem celebrar o digno ato de doar sangue no dia 14 de junho, o Dia Mundial do Doador de Sangue.

Dia da Madrinha

O Dia da Madrinha é comemorado anualmente em 25 de novembro.

A data homenageia a figura materna que é considerada, por muitas pessoas, como uma segunda mãe.

Normalmente, os pais do recém-nascido escolhem uma mulher e um homem como madrinha e padrinho, respectivamente. De acordo com as convenções sociais e religiosas impostas durante os anos nos diversos tipos de sociedades, as madrinhas são responsáveis por cuidar da criança, caso aconteça algo que impossibilite que os pais façam isso.

A figura da madrinha está presente em quase todas as culturas do mundo e em várias religiões, sempre com uma conotação ligada à família, proteção e guia.

No Brasil, as madrinhas costumam receber apelidos carinhos de seus afilhados(as), como "dinda", "dindinha" ou "mãezinha".

Dia da Baiana de Acarajé

O Dia Nacional da Baiana de Acarajé é comemorado anualmente em 25 de novembro.

A data homenageia a importância histórica e cultural da figura da baiana do acarajé, nome dado às mulheres que se dedicam na produção e venda dessa iguaria típica da Bahia. A baiana é um dos ícones mais populares do Brasil.

As baianas de acarajé são consideradas, desde 2004, Patrimônio da Humanidade pelo Instituto do Patrimônio e Artístico Nacional (IPHAN).

Além deste título, em 2012, as baianas ainda foram reconhecidas como Patrimônio Imaterial da Bahia e Patrimônio Cultural de Salvador. A Associação das Baianas de Acarajé, Mingau, Receptivo e Similares do Estado da Bahia (Abam) é a entidade que regula a profissão das quituteiras.

A profissão de baiana de acarajé foi oficializada com o decreto de lei municipal de Salvador nº 12.175/1998. Calcula-se que existam mais de 3.500 baianas cadastradas para vender o quitute na capital do estado.

Normalmente, o Dia da Baiana de Acarajé é comemorado no centro histórico de Salvador, onde há a maior concentração das profissionais. Um grande desfile e feito pelas ruas e, no final, uma missa ou culto religioso dedicado às baianas.

Acarajé
O acarajé é uma iguaria típica da culinária afro-brasileira. Trata-se de um bolinho frito, feito com massa de feijão-fradinho, cebola, sal e frito em azeite de dendê. O acarajé pode ser recheado com vatapá, caruru, camarão seco ou pimenta.

O acarajé, também conhecido como acará, era uma comida destinada aos orixás. Como algumas pessoas escravizadas tinham autorização para vender alimentos na rua, um dos escolhidos foi o acarajé, tanto pelo seu preparo como pela sua aceitação popular.

Dado sua importância na vida da cidade soteropolitana, o acarajé foi agraciado como Patrimônio Cultural de Salvador pela Câmara Municipal em 2005.

www.calendarr.com
Calendarr

Mais...

Buscas

Todas as notícias

Publicidade
  • Aulas
  • Judocam 300x250 - Pai, invista...
  • PARA ABENÇOAR

Outras notícias...