Judô

Rafaela Silva é prata e Nathália Brígida conquista bronze no primeiro dia do Grand Slam de Dusseldorf

143.V

Reprodução IJF TV
Campeã olímpica caiu na final em duelo com a campeã mundial Tsukasa Yoshida. Brígida venceu alemã Kataharina Menz para conquistar seu segundo bronze em 2019

Campeã olímpica caiu na final em duelo com a campeã mundial Tsukasa Yoshida. Brígida venceu alemã Kataharina Menz para conquistar seu segundo bronze em 2019

O judô brasileiro estreou no Grand Slam de Dusseldorf com dois pódios nesta sexta-feira, 22, primeiro dia de competição. Rafaela Silva ficou com a prata em final com a campeã mundial Tsukasa Yoshida, do Japão, enquanto a ligeiro Nathália Brígida conquistou o bronze ao derrotar a alemã Katharina Menz no ISS Dome. A competição continua neste final de semana com a participação de mais judocas do Brasil.

"Nesse início de temporada voltei à minha rotina de treinos específicos e dei bastante atenção à parte física. O caminho é treinar duro sempre. Começar bem o ano dá confiança para manter o trabalho. É um degrau de cada vez", projeta a campeã olímpica.

Rafaela chegou a Dusseldorf como uma das cabeças-de-chave da competição e confirmou seu favoritismo nas preliminares. Abriu caminho com vitória nas punições sobre Ichinkhorloo Munkhtsedev, do Azerbaijão. Em seguida, projetou a holandesa Sanne Verhagen, pontuando um waza-ari a poucos segundos do fim da luta para avançar às quartas-de-final. Nessa fase, a brasileira sofreu um waza-ari no início da luta contra Sappho Coban, da Alemanha, mas reagiu com outras duas projeções e superou a alemã por ippon para chegar à semifinal.

A penúltima luta foi uma reedição da final olímpica do Rio contra a mongol Sumiya Dorjsuren e teve o mesmo desfecho de 2016. Luta parelha, com Rafaela vencendo no finalzinho graças a um waza-ari que precisou ser confirmado pelo vídeo.

Na decisão pelo ouro, Rafaela sofreu um waza-ari no segundo minuto de luta com Yoshida, chegou a forçar duas punições à adversária, mas não conseguiu supera-la.

A campeã olímpica fecha, portanto, a série de três competições na Europa participando das disputas por medalhas em todas as etapas. Foi quinto em Paris, prata em Oberwart e prata em Dusseldorf.

Já Nathália, estreou com vitória por ippon sobre Aisha Gurbanli, do Azerbaijão, e bateu a húngara medalhista de bronze em Londres, Eva Csernoviczki, nas oitavas-de-final, com um waza-ari no golden score. Na sequência, Brígida derrotou Shira Rishony, de Israel, em luta equilibrada decidida apenas nas punições (3-2) e foi para a semifinal, onde acabou sendo imobilizada pela japonesa Funa Tonaki, atual vice-campeã mundial.

Na luta pelo bronze, Nathália conseguiu encaixar uma chave braço e fez Katharina Menz desistir do combate. Esse é o segundo pódio da brasileira na temporada. Em janeiro, ela foi bronze também no Grand Prix de Tel Aviv, em Israel. Os 500 pontos de Dusseldorf devem fazer com que a brasileira dê um salto no ranking mundial. Depois de duas cirurgias no ombro e um longo período afastada das competições, Brígida ocupa, atualmente, a posição número 51 na listagem da FIJ.

"Estou muito satisfeita com meu desempenho aqui na Alemanha. Em uma competição de um nível alto como essa sair com uma medalha, sem dúvida, mostra que estou evoluindo. E me dá ainda mais confiança e motivação para os meus próximos desafios nessa temporada", avaliou Brígida.

Outros brasileiros também lutaram nesta madrugada. As meio-leves Larissa Pimenta e Eleudis Valentim venceram suas duas primeiras lutas, mas caíram nas oitavas-de-final sem chance de voltar na repescagem.

Larissa vencia a russa Yulia Kazarina por um waza-ari, mas acabou sendo surpreendida pela adversária, que conseguiu o ippon e eliminou a brasileira.

Eleudis caiu para a campeã olímpica Majlinda Kelmendi, do Kosovo, nas punições e despediu-se mais cedo do Grand Slam de Dusseldorf. Kelmendi chegou à final da categoria com a mongol Sosorbaram Lkhagvasuren.

Phelipe Pelim foi outro brasileiro que parou nas oitavas. Ele estreou com vitória sobre Matjaz Trbovc, da Eslovênia, mas perdeu para o favorito Ryuju Nagayama, do Japão, também finalista em Dusseldorf.

Eric Takabatake (60kg), Charles Chibana (66kg), Daniel Cargnin (66kg), Gabriela Chibana (48kg) e Tamires Crude (57kg) pararam em suas primeiras lutas no tatame alemão.

AO VIVO

www.live.ijf.org / ippon.tv

HORÁRIOS

6h - Preliminares
13h - Bloco Final
Horários de Brasília

SEXTA-FEIRA, 22

60kg: Eric Takabatake/EC Pinheiros/FPJUDO
60kg: Phelipe Pelim/EC Pinheiros/FPJUDO
66kg: Charles Chibana/EC Pinheiros/FPJUDO
66kg: Daniel Cargnin/Sogipa/FGJ
48kg: Nathália Brígida/Sogipa/FGJ
48kg: Gabriela Chibana/EC Pinheiros/FPJUDO
52kg: Eleudis Valentim/EC Pinheiros/FPJUDO
52kg: Larissa Pimenta/EC Pinheiros/FPJUDO
57kg: Rafaela Silva/Instituto Reação/FJERJ
57kg: Tamires Crude/Instituto Reação/FJERJ

SÁBADO, 23

73kg: Eduardo Katsuhiro Barbosa/Paineiras/FPJUDO
73kg: Marcelo Contini/EC Pinheiros/FPJUDO
81kg: Eduardo Yudy Santos/EC Pinheiros/FPJUDO
63kg: Aléxia Castilhos/Sogipa/FGJ
63kg: Ketleyn Quadros/Sogipa/FGJ
70kg: Ellen Santana/S.E. Palmeiras/FPJUDO
70kg: Maria Portela/Sogipa/FGJ

DOMINGO, 24

90kg: Eduardo Bettoni/Minas Tênis/FMJ
90kg: Rafael Macedo/Sogipa/FGJ
100kg: Leonardo Gonçalves/Sogipa/FGJ
100kg: Rafael Buzacarini/Paineiras/FPJUDO
+100kg: Jonas Inocencio/EC Pinheiros/FPJUDO
+100kg: Rafael Silva/EC Pinheiros/FPJUDO
78kg: Mayra Aguiar/Sogipa/FGJ
78kg: Samanta Soares/EC Pinheiros/FPJUDO
+78kg: Beatriz Souza/EC Pinheiros/FPJUDO
+78kg: Maria Suelen Altheman/EC Pinheiros/FPJUDO

www.cbj.com.br
Confederação Brasileira de Judô

Mais...

Buscas

Todas as notícias