Calendário internacional do judô em 2021 anima Jéssica Pereira: “já sei todas as oportunidades que terei para pontuar”

Federação Internacional de Judô divulgou datas das competições na última terça-feira e atleta do Time Judô Rio passa a ser uma das grandes apostas da CBJ para vaga no 57kg

Calendário internacional do judô em 2021 anima Jéssica Pereira: “já sei todas as oportunidades que terei para pontuar”
Foto: Rafael Bello/COB

AMIGO LEITOR

Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico.
Venha fazer parte desta família.
Colabore com a divulgação dos esportes.
Não deixe essa chama apagar.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro
Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

Na última terça-feira, 06, a Federação Internacional de Judô (FIJ) divulgou o calendário internacional da modalidade, confirmando a realização de cinco Grand Slam e um Campeonato Mundial até Tóquio. O novo calendário oferece mais oportunidades de pontuação para atletas que se recuperam de lesões, que buscam ser cabeças-de-chave nos Jogos ou que ainda não estão dentro da zona de ranqueamento olímpico, como é o caso do peso leve feminino (57kg).

E é aí que entra o Time Judô Rio. Com a confirmação da suspensão da campeã olímpica Rafaela Silva, Jéssica Pereira passa a ser uma das principais apostas da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), ao lado da paulista Ketelyn Nascimento, para garantir em Tóquio 2020, mais uma vez, o número máximo de atletas possível na disputa dos Jogos Olímpicos. A atual atleta do Instituto Reação, formada pelo Jequiá/Umbra, se animou com a possibilidade de subir no ranking até 15 dias antes da competição no Japão.

Judô Tênis

“A divulgação do calendário me incentivou muito porque antes estávamos sem saber quantas competições teriam até os Jogos. Agora já sei todas as oportunidades que terei para pontuar e conseguir a classificação”, contou Jéssica.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

Além dos 5 Grands Slam e do Mundial, a programação de competições prevê também a realização dos continentais e de cinco Abertos. Todas essas etapas serão classificatórias para os Jogos Olímpicos, distribuindo quase 10 mil pontos no ranking mundial. A vice-campeã mundial júnior em 2013 terá que ficar entre as 18 melhores da categoria ao final da corrida olímpica para carimbar o passaporte para Tóquio.

“Meu ânimo está totalmente renovado. Agora sei exatamente quais são as competições que teremos e quando elas vão acontecer. Assim, posso me preparar melhor para cada uma delas e buscar os melhores resultados em busca da minha vaga olímpica”, contou.

Para valorizar ainda mais as etapas de 2021 e ofertar maior número de pontos aos atletas que ainda buscam a classificação olímpica, a FIJ fez um upgrade em etapas que, até então, eram Grand Prix (700 pontos). Com isso, as disputas de Tel Aviv (Israel), Tashkent (Usbequistão), Tbilisi (Geórgia) e Antalya (Turquia) receberam a chancela de Grand Slam e valerão até 1.000 pontos no ranking. O fechamento do ranking olímpico será em 28 de junho, data em que serão conhecidos todos os classificados para os Jogos de Tóquio. E, de 24 a 31 de julho, eles lutarão pela glória olímpica na Nippon Budokan.

“Estou me sentindo muito bem e pronta para começar o ano e focar no calendário de competições. Tenho treinado bastante fazendo muitos treinos técnicos e táticos, randoris, treino físico e estudando as principais adversárias”, completou Jéssica, que tem realizado suas atividades no Centro de Treinamento Time Brasil, do COB, no Parque Aquático Maria Lenk, e no clube.

Para começar o ano, será realizado o World Masters de Doha, no Catar, a partir de 11 de janeiro. É a segunda competição mais importante na corrida olímpica em termos de pontos, valendo até 1.800 pontos. Em nota, a Federação Internacional deixou aberta a possibilidade da fazer outros eventos ainda em 2021 até os Jogos.

“Estes são só os eventos confirmados. Ainda há espaço e tempo para mais, se a situação da saúde global melhorar”, projetou a entidade.

CALENDÁRIO IJF 2021:
11-13 Janeiro: World Masters – Doha/Catar – 1.800 pts
18-20 Fevereiro: Grand Slam – Tel Aviv/Israel – 1.000 pts
27-28 Fevereiro: Aberto Europeu – Praga/Rep. Tcheca – 100 pts
06-07 Março: Aberto Pan-Americano – Santiago/Chile – 100 pts
05-07 Março: Grand Slam – Tashkent/Usbequistão – 1.000 pts
13-14 Março: Aberto Pan-Americano – Lima/Peru – 100 pts
20-21 Março: Aberto Pan-Americano – TBC/Argentina – 100 pts
26-28 Março: Grand Slam – Tbilisi/Geórgia – 1.000 pts
01-03 Abril: Grand Slam – Antalya/Turquia – 1.000 pts
16-18 Abril: Campeonato Pan-Americano – Cordoba/Argentina – 700 pts
08-09 Maio: Grand Slam – Paris/França – 1.000 pts
06-13 Junho: Mundial Individual e Equipes – Budapeste/Hungria – 2.000 pts
24-31 Julho: JOGOS OLÍMPICOS – TÓQUIO 2020

Fonte: FJERJ (judorio.org)

Share