Tradutor/ Translate

Lúcia Araújo leva o bronze no GP de judô do Azerbaijão

Foto: © Francisco Medeiros/Ministério do Cidadania

Nesta terça-feira (25), durante o primeiro dia de disputas do GP de Baku, no Azerbaijão, de judô paralímpico, a seleção brasileira faturou uma medalha de bronze. A conquista veio com a paulista Lúcia Araújo, na categoria até 57 kg. Dona de duas medalhas de prata em Paralimpíadas (Londres e Rio de Janeiro), ela bateu a russa Natalia Ovchinnikova na decisão da medalha.

AMIGO LEITOR
Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico. Não deixe essa chama apagar. Neste momento de dificuldade, toda contribuição financeira é bem-vinda.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro - Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

“Havia a expectativa por estarmos há mais de um ano sem competir e a gente já pegou uma competição forte como essa. Trabalhamos dentro das possibilidades”, comemorou a lutadora à assessoria da Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV).

Judô Tênis

Quinta melhor judoca do mundo em seu peso, a brasileira precisou se recuperar rápido no torneio após perder na estreia para a anfitriã Sevda Valiyeva, que acabou ficando com o ouro no GP. Na repescagem, Lúcia bateu a argentina Laura Gonzalez e seguiu firme rumo à disputa do lugar no pódio.

Os demais brasileiros não tiveram vida fácil no Azerbaijão. Thiego Marques e Giulia Pereira chegaram até a repescagem, ficando na sétima colocação. Outros três brasileiros foram derrotados logo nas lutas iniciais. Na categoria até 52 kg, Karla Cardoso perdeu para a ucraniana Nataliya Nikolaychyk, e Maria Núbea Lins, para Sabina Abdullayeva, do Azerbaijão. Na categoria até 73 kg masculina, Luan Pimentel levou a pior contra Bachuki Shelia, da Geórgia. Como os algozes brasileiros também ficaram pelo caminho, os atletas não tiveram chances de participarem da repescagem.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

Nesta quarta (26), a partir das 3h, no horário de Brasília, a seleção nacional volta aos tatames com as lutas qualificatórias. Alana Maldonado (até 70 kg), Rebeca Silva e Meg Emmerich (mais de 70 kg), Harlley Arruda (até 81 kg), Arthur Silva (até 90 kg), Antônio Tenório (até 100 kg) e Wilians Araújo (mais de 100 kg) entram na disputa. As finais começam a partir das 8h30, e a IBSA (sigla em inglês para Federação Internacional de Esportes para Cegos) transmite ao vivo.

O GP de Baku é o primeiro evento oficial da modalidade desde fevereiro de 2020. Para aqueles que ainda precisam de pontos para conquistar uma vaga nos Jogos de Tóquio, depois do evento de Baku, a última oportunidade será em junho, no GP de Warwick, na Inglaterra.

Fonte: Agência Brasil/ Gustavo Faria (agenciabrasil.ebc.com.br)

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.