Tradutor/ Translate

Professores Francisco e Orlando participam do Credenciamento da FJERJ

Professores Francisco e Orlando, participam do Credenciamento da FJERJ
Professores Francisco e Orlando no CT da UENF
Foto: JudoCam

Os professores Francisco de Alvarenga Leandro do Judô Clube Campos dos Goytacazes (JudoCam/UENF) e Orlando Gomes Leandro da Associação Desportiva Fernandes Leandro (ADFL) participaram neste último sábado, 28/01/2023, do Credenciamento Técnico 2023 da Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro (FJERJ).

AMIGO LEITOR

Seja um colaborador do nosso Site Portal Olímpico.
Venha fazer parte desta família.
Colabore com a divulgação dos esportes.
Não deixe essa chama apagar.
Dê sua contribuição: Pix 22988620015
Depósito ou Transferência Bancaria em nome de Francisco de Alvarenga Leandro
Banco: Santander Ag: 3086 - Conta: 01042887-3
Qualquer dúvida (22) 988620015.
Desde já, agradecemos sua colaboração!
Atenciosamente, Sócio/Gerente: Francisco de Alvarenga Leandro.

O Credenciamento obrigatório para professores que irão atuar como técnicos pela FJERJ contou com a participação de mais de 400 professores que estão autorizados a atuar como técnico no ano de 2023.

A FJERJ busca sempre inovar em seus credenciamentos e este ano não foi diferente, pois aconteceram duas palestras interessantíssimas com a Dra. Gabriela Conceição de Souza sobre “Reflexões sobre o Judô Feminino”, e com a pós-graduada Claudia Mendonça de Barros sobre “Judô e Funções Executivas”.

Judô Tênis

Na abertura, o presidente Jucinei Costa apresentou as conquistas alcançadas pela FJERJ, o suporte dado aos filiados e agremiações. Fez um balanço do ano de 2022, e apresentou algumas metas para 2023, como renovar os apoios de empresas e filiados, aumentar o número de filiados e outros.

[Querido amigo! Está gostando desta matéria? Se sim, precisamos da sua colaboração para mantermos o nosso Site Portal Olímpico. Contribua com a quantia que puder, será de grande ajuda.
Nosso PIX: 22988620015.
Desde já, nosso muito obrigado, e prossiga com uma boa e abençoada leitura.]

O vice-presidente Jeferson Vieira comentou sobre as regras que os técnicos têm que seguirem dando ênfase às penalidades que o técnico recebe e as consequências que isto pode acarretar para o técnico e para o atleta.

Quando um técnico toma a primeira advertência em uma luta, ele não pode tomar a segunda pois ele é suspenso da luta e sendo encaminhado para a arquibancada e se mesmo assim ele ficar instruindo seu atleta da arquibancada, ele será suspenso por um dia como técnico.

O judogui é de responsabilidade do técnico e do atleta, se ele não passar no controle da competição, o técnico será suspenso e o atleta troca o kimono e continua na competição. Não se pode esquecer dos pet’s nos kimonos.

Caso o técnico não concorde com o resultado deve procurar coordenador de arbitragem.

Dra. Gabriela Conceição de Souza
Foto: Arquivo Pessoal

A palestrante Dra. Gabriela apresentou as “Reflexões sobre o Judô Feminino”.

Terceiro dan de judô e pós doutorado em educação física pela UFRJ, a Dra. Gabriela apresentou de forma prática e de fácil entendimento a evolução do judô feminino no início em 1926, criado pelo Jigoro Kano, a escola de judô para mulheres no Japão, a pioneira Utako Shimada era aluna de Jigoro kano e defendia o ensino do judô para meninos e meninas.

Em 1933, a Katsuko Kasaki foi a primeira mulher faixa preta no Japão.

As faixas do judô feminino tinham que ter uma listra branca no meio delas e no ano de 1999, a Federação Internacional de Judô (FIJ) aboliu este sistema da diferenciação nas faixas, sendo que só no ano de 2017, foi abolida pelo Japão.

Em 1935, a Sarah Mayers foi a primeira ocidental a conquistar a faixa preta.

Em 1955, Rusty Kanokogi foi pioneira do judô nos Estados Unidos da América e foi responsável pelo 1º campeonato mundial de judô feminino no ano de 1980.

Em 1980, foi realizado o 1º campeonato brasileiro de judô feminino.

Gilmar dos Santos Dias
Foto: Arquivo Pessoal

O Coordenador de Arbitragem Gilmar dos Santos Dias mencionou sobre o Circuito Hajime, suas regras, posturas dos Árbitros e professores, antes, durante e depois dos eventos. Cuidados com os pet’s nos kimonos, respeito entre técnicos e árbitros e relembrou algumas regras do circuito Hajime.

Classes sub 9 e sub 11
Não tem a presença dos técnicos nas áreas de luta.
O atleta só é punido na terceira falta.

Classes sub 13 e sub 15
Não tem a obrigatoriedade de dois judoguis;
O atleta só é punido na segunda falta.

Classe sub 18
O atleta faz um erro, é dado mate o árbitro orienta o atleta e depois puni com a advertência cabível.

É obrigado a ter dois judoguis.

O Atendimento médico é livre, sabendo que a última decisão é do médico se o atleta está apto a voltar ou não.

O Coordenador Cláudio mencionou sobre as equipes, pesagem dos atletas, pesagem antecipada e os documentos oficiais aceitos, todos que tenham fotos, não aceitando prints e nem fotos de documentos.

O Diretor Técnico Leonardo Lara falou sobreo sucesso do Circuito Hajime, tanto em inscritos como de público. Apresentou a separação de faixas utilizadas no circuito, e mostrou a preocupação da FJERJ no desenvolvimento do atleta como um todo e não só na parte competitiva. Informou que no ano de 2022, 29 treinadores foram convocados pela CBJ.

A palestrante Cláudia Mendonça de Barros apresentou as “Judô e Funções Executivas”.

Pós-graduada e professora de educação física, Cláudia detalhou sobre o corpo e cognição, exercício físico e saúde do cérebro, benefícios dos exercícios para a aprendizagem, sistema nervoso central, funções executivas básicas e características do Judô que requisitam as funções cognitivas.

O professor Marco Aurélio Gama falou sobre o planejamento do programa de promoção de dan 2023, sobre as condições mínimas e relembrou algumas regras para que nenhum candidato seja prejudicado no final do processo do exame de graduação, tendo cuidado com a carência de graduação e no Zempo, atestado médico, curso de oficial de mesa, frequentar pelo menos 4 dos 5 módulos realizados, estar em dia com suas obrigações junto a FJERJ e com a CBJ

Fonte: Francisco de Alvarenga Leandro/JudoCam

Share